• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Marcando presença » A estratégia eleitoral de Armando Monteiro Gestão do socialista à frente da Secretaria da Fazenda será o alvo do petebista, ambos pré-candidatos ao governo

Franco Benites

Publicação: 18/03/2014 09:03 Atualização: 18/03/2014 10:46

Foto: Alexandre Albuquerque/Divulgação/Arquivo
Foto: Alexandre Albuquerque/Divulgação/Arquivo

Assim como o secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB), o senador Armando Monteiro (PTB) também marcou presença no primeiro dia do Congresso Pernambucano de Municípios realizado ontem no Centro de Convenções em Olinda. O petebista comentou o fato de o socialista ser designado para cuidar do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM) e assim ganhar mais espaço na interlocução com os prefeitos. “Não conheço as estratégias do PSB. Gostaria até de conhecer. Mas está havendo uma proximidade das propostas em relação ao candidato da circunstância”, disse.

Pré-candidato ao governo do estado, Armando afirmou que o rival nas eleições de outubro tem deixado a desejar enquanto secretário da Fazenda. “Todos os recursos que podem ser transferidos para os municípios têm o meu apoio, mas queria pedir ao secretário-candidato, ou seria o candidato-secretário?, que também se lembre do contribuinte. É ele que paga as contas e gera receita com seus impostos”, declarou.

A gestão fiscal do governo do estado, aliás, será um dos principais motes de Armando. A meta do petebista é mostrar que Paulo Câmara desprezou a base da cadeia produtiva de Pernambuco e não é um técnico hábil como o PSB quer vender. “Vamos aproveitar que o secretário está nesse embalo de ajudar os municípios e vê se ele faz algo para o pequeno comércio, o prestador de serviço e a pequena indústria. Ele tem que fazer algo para o contribuinte”.

Pacto federativo

Convidado a falar sobre a necessidade de um novo pacto federativo, Armando arrancou aplausos ao afirmar que os municípios são os “agentes principais das políticas públicas”. Ele defendeu uma reforma tributária e condenou a guerra fiscal existente entre os estados, classificando-a como predatória.

Apesar de Paulo Câmara contar com o apoio de boa parte das prefeituras, Armando se sentiu à vontade no evento e foi bastante requisitado para fotos. O momento de maior “confronto” ocorreu quando o prefeito de Moreno, Dilsinho Gomes (PSB), contestou o discurso do senador. “Nesse período as sensibilidades afloram”, comentou o petebista já na saída do evento.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.