• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Investigação » Vereadores da operação Ponto Final 2 recebem novo afastamento Juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Caruaru determinou o afastamento dos cargos por mais 180 dias

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 17/03/2014 10:56 Atualização: 17/03/2014 11:20

Cinco dos dez vereadores da Câmara Municipal de Caruaru acusados pela polícia de cobrarem propina para votarem matérias na Casa sofreram novo golpe na Justiça. No final da semana passada, o juiz Jefferson Félix, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Caruaru, decidiu em caráter liminar afastar os acusados do cargo por 180 dias. Ele avaliou uma ação de improbidade administrativa impetrada pela promotora Bianca Stella. É o segundo afastamento judicial dos parlamentares Evandro Silva (PMDB), Val das Rendeiras (Pros), Val (DEM), Neto (PMN) e Pastor Jadiel (Pros), desde dezembro do ano passado, quando foi deflagrada a operação Ponto Final, da Polícia Civil.

"Mesmo que os acusados consigam derrubar a decisão do primeiro afastamento, em dezembro, não poderão voltar aos cargos por causa desse segundo afastamento por ordem judicial", explicou o delegado responsável pelo caso, Erick Lessa. Os vereadores devem ser ouvidos pela Comissão de Ética da Câmara na próxima semana. Os convites para que eles compareçam foram enviados na semana passada. As presenças ainda não foram confirmadas, mas a expectativa da Casa é de que eles prestem seus depoimentos na semana que vem. Caso sejam considerados culpados pelos colegas parlamentares, eles podem sofrer desde uma advertência verbal até a punição mais radical, que seria a cassação dos mandatos.

OAB
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Caruaru, vai acompanhar os trabalho de investigação da Comissão de Ética da Câmara dos Vereadores de Caruaru. A Casa está avaliando a situação dos cinco vereadores afastados pela Operação Ponto Final 2, da Polícia Civil: Evandro Silva (PMDB), Val das Rendeiras (Pros), Val (DEM), Neto (PMN) e Pastor Jadiel (Pros). Eles podem sofrer uma punição que vai desde uma advertência verbal até a cassação do mandato. Os vereadores são investigados por suspeita de corrupção ativa, passiva e organização criminosa. Como alguns acusados questionaram a integridade moral dos integrantes da Comissão de Ética, que está sendo presidida pelo vereador Ricardo Liberato (PSC), a própria Comissão convidou a OAB para que acompanhasse o andamento das investigações. Um integrante da diretoria da Ordem em Caruaru será designado esta semana.

Saiba mais

18 de dezembro

Dez vereadores foram presos na Operação Ponto Final, sob suspeita de participação em um esquema de corrupção que envolve a cobrança de suborno para aprovação de projetos do Poder Executivo na Câmara. Uma semana depois, todos conseguiram liberdade provisória. Os envolvidos são: Louro do Juá (Solidariedade), Eduardo Cantarelli (Solidariedade), Cecílio Pedro (PTB), Sivaldo Oliveira (PP), Jadiel Nascimento (Pros), Evandro Silva (PMDB), Neto (PMN), Val (DEM), Jajá (sem partido) e Val das Rendeiras (Pros)

10 de janeiro
O vereador Evandro Silva (PMDB) foi preso novamente, desta vez sob legação de que estava ameaçando testemunhas. Neto, do PMN, também teve a prisão decretada pelo mesmo motivo, mas ficou foragido até seu dvogado obter um habeas corpus quatro dias depois. Silva foi solto no dia 13.

29 de janeiro
Por determinação do juiz Pierre Souto Maior, foi decretada a prisão de cinco vereadores: Evandro Silva (PMDB), Val das Rendeiras (Pros), Val (DEM), Neto (PMN) e Pastor Jadiel (Pros). Eles estariam envolvidos em um esquema de manipulação de votação para abertura ou não de CPI na Câmara Municipal.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.