• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Facebook » TSE suspende página de apoio a Aécio Neves A decisão acontece uma semana depois de o Tribunal ter suspendido uma página fake de Eduardo Campos

Agência O Globo

Publicação: 14/03/2014 17:56 Atualização:

Uma semana após mandar retirar do ar uma página sobre o presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou a suspensão de um perfil de outro provável adversário da presidente Dilma Rousseff na disputa eleitoral deste ano, o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Com a decisão, assinada pelo ministro Humberto Martins, o Facebook teve de retirar o grupo intitulado “Aécio Neves Presidente 2014” de seu site.

O pedido foi feito pelo Ministério Público Eleitoral, que alegou haver promoção de candidatura extemporânea. “A inserção da publicidade enaltece, em período vedado pela legislação eleitoral, a pessoa e imagem do segundo representado, levando ao conhecimento do eleitor a sua possível candidatura, ao apresentá-lo como o mais apto ao exercício da função pública, o que desequilibraria a disputa entre os potenciais postulantes à Presidência da República”, justifica a ação, acatada pelo ministro do TSE.

Aécio Neves não contestou a decisão da Corte e disse, por meio de nota, que a iniciativa para criação da página não foi do partido e nem sua. “Dessa forma, o PSDB e seu presidente, Aécio neves, apoiam a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)”, diz o texto.

A assessoria do senador afirma que o único perfil oficial alimentado pelo PSDB é o “Aécio Neves Oficial” e que o presidente do partido, inclusive, já havia se manifestado no sentido de solicitar a seus apoiadores que evitassem ações que pudessem ter cunho eleitoral. Outros tucanos questionaram o que consideram falta de isonomia por parte do TSE. Para o líder do PSDB na Câmara, deputado Antônio Imbassahy (BA), a Corte deveria tomar decisão semelhante no caso das páginas de apoio à presidente Dilma Rousseff.

"As páginas que apoiam a Dilma, especialmente a da Dilma Bolada, visivelmente têm natureza de promoção pessoal. É estranho que o TSE não tenha posição análoga nesse caso, em que claramente há antecipação da campanha eleitoral. Se tira do ar a página de um e de outro, tem que tirar de todos. Não tem justificativa para manter a Dilma Bolada", defende Imbassahy. O deputado se refere ao perfil fake da presidente Dilma Rousseff no Facebook e na internet, que é apresentado da seguinte forma: “Sou a Rainha da Nação, a Diva do Povo, a Soberana das Américas... Sou linda, sou diva, sou Presidenta. SOU DILMA!”.

Na semana passada, depois que o TSE determinou a retirada do ar da página sobre Eduardo Campos, Dilma Bolada protagonizou um bate-boca virtual com o líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS). Durante a discussão, o parlamentar gaúcho acusou o personagem de fazer propaganda eleitoral antecipada. O humorista Jéferson Monteiro, autor da página, já foi recebido ao menos duas vezes no Palácio do Planalto. A primeira delas pela própria presidente Dilma Rousseff. A segunda, em que Dilma não estava no local, ocorreu na semana passada.

Em sua decisão, o ministro Humberto Martins destacou que a propaganda antecipada se configura nas expressões como: “Aécio se consolida como o candidato mais forte da oposição ao governo Dilma” e “Queremos Aécio Neves Presidente”. O ministro ressalta que a página da internet não é restrita àqueles que se cadastram e são autorizados e pode ser acessada por qualquer internauta, ainda que não participante do grupo.

Pela legislação eleitoral, é vedado levar ao conhecimento geral, ainda que de forma dissimulada, a candidatura, mesmo que somente postulada, previamente aos três meses que antecedem o pleito.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.