• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Chapa do PTB » O xadrez do pré-candidato Armando Monteiro para a eleição deste ano PT, PP e PDT podem definir o rumo que tomará a chapa pela qual o senador petebista disputará o governo do estado

Franco Benites

Publicação: 14/03/2014 08:11 Atualização:

A definição de quem ficará com o quê dependerá da oficialização da aliança entre as legendas. Foto: Nando Chiappetta/DP/D.A Press. (Nando Chiappetta/DP/D.A Press)
A definição de quem ficará com o quê dependerá da oficialização da aliança entre as legendas. Foto: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

Os deputados federais João Paulo (PT), Paulo Rubem (PDT), Eduardo da Fonte (PP), a deputada estadual Teresa Leitão (PT) e a vereadora Michele Collins (PP) são alguns dos nomes cogitados para ocupar os espaços de vice-governador e senador na chapa do senador e pré-candidato Armando Monteiro (PTB). A definição de quem ficará com o quê dependerá da oficialização da aliança entre as legendas.Teoricamente, a vaga do Senado será destinada ao PT, já que a orientação da Executiva Nacional do partido é que os petistas ocupem esse espaço nos estados onde a legenda abrir mão da candidatura própria. O deputado federal João Paulo seria o indicado para caminhar ao lado de Armando Monteiro, embora a sua preferência já externada seja continuar na Câmara Federal.

Uma possibilidade mais remota é que o PT abra mão do Senado e fique com a vice para fortalecer a aliança e, consequentemente, o palanque de reeleição da presidente Dilma Rousseff em Pernambuco. Nesse caso, algumas fontes apostam no nome da deputada estadual e presidente do partido no estado Teresa Leitão. Assim, o caminho ficaria livre para João Paulo tentar renovar o mandato de deputado.

No PDT, o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, admitiu que a vaga de vice foi oferecida ao partido e classificou a proposta como "sedutora". Ele, no entanto, ainda não bateu o martelo sobre o apoio a Armando porque a maior parte dos pedetistas locais prefere se aliar ao secretário da Fazenda, Paulo Câmara (PSB). Procurado pelo Diario, Lupi garante que as conversas estão paradas. "Não há nenhuma novidade", diz.

Com o PP, o desafio de Armando será convencer o partido a abrir mão do projeto solo ao governo estadual. O deputado federal e presidente estadual da sigla, Eduardo da Fonte, quer lançar a vereadora Michele Collins ao cargo, mas pode ser persuadido pelo ex-presidente Lula (PT). "O pensamento é de que é possível ter um palanque duplo para Dilma em Pernambuco. Mas é importante que Lula abençoe esse projeto, pois ele já disse que o estado é prioridade pessoal dele".

A reunião entre Lula e Eduardo da Fonte ocorrerá assim que o ex-presidente voltar da Itália. Se o PP decidir se aliar ao PT e a Armando, Eduardo da Fonte pode vir a ocupar um espaço na chapa. Caso prefira renovar o mandato, abriria espaço para Michele Collins.

Saiba mais

João Paulo:
é o nome da vez no PT para disputar o Senado. O deputado federal já declarou publicamente que a sua preferência é pela renovação do mandato na Câmara Federal

Michele Collins:
pré-candidata do PP ao governo do estado, pode ficar com uma vaga na chapa se o partido se aliar ao PTB e se Eduardo da Fonte preferir a segurança da renovação do mandato

Paulo Rubem:
deputado federal, ele é cotado para ser o candidato a vice de Armando. Tem peso eleitoral na Região Metropolitana do Recife e não oferece a resistência de outros pedetistas à aliança

Eduardo da Fonte:
o deputado federal diz que o projeto do PP é lançar candidato próprio. Após conversar com Lula, pode retirar o projeto da mesa e abraçar a vaga de vice ou ao Senado

Teresa Leitão:
a participação da deputada estadual na chapa com o PTB é mais remota, mas não totalmente descartada. Ela seria um dos nomes viáveis caso o PT decida ocupar a vaga de vice

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.