• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Possíveis adversários » Eduardo desafia Dilma Rousseff para o debate Para o socialista, como presidente da República, a petista não pode fugir de debater temas relevantes

Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicação: 11/03/2014 08:08 Atualização: 11/03/2014 12:11

Governador disse a empresários paulistas que petista tende a fugir das discussões. Foto: Renato S. Crqueira (Renato S. Crqueira)
Governador disse a empresários paulistas que petista tende a fugir das discussões. Foto: Renato S. Crqueira

Depois de criticar e citar nominalmente a presidente Dilma Rousseff (PT) no interior do estado, no final de semana passado, o governador Eduardo Campos (PSB) afirmou, ontem, que a adversária pretende fugir do debate político. O governador falou sobre o assunto numa palestra realizada na Associação Comercial de São Paulo, no estado paulistano, o maior colégio eleitoral do país. Lá, ele cumpriu uma extensa agenda política como pré-candidato a presidente, encontrando-se também com médicos, ambientalistas e lideranças da Rede Sustentabilidade. A ex-senadora Marina Silva participou da agenda com defensores ambientais.

“A presidente da República, e todos nós a respeitamos enquanto presidente do nosso país, não tem o direito de fugir de debate”, afirmou o gestor socialista, sob aplausos da plateia presente, formada por empresários. Ele falou sobre o assunto ao citar reuniões com veículos de comunicação onde seus representantes ouviram relatos de que a petista não tem interesse de participar de debates.

A visita de Eduardo Campos se deu num campo de estratégia adotado pelo pernambucano para conquistar parte do segmento empresarial e industrial brasileiro que também se queixa da condução da política econômica do governo Dilma. A insatisfação anda tão latente que alguns representantes do setor têm procurado o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para que ele concorra à Presidência no lugar da petista. Um nicho que será afagado pelo socialista.
Na mesma solenidade, Eduardo Campos afirmou que poderia esperar para disputar a eleição em 2018, porém depois emendou. “Mas acho que o país não aguenta esperar”, afirmou, dessa vez sem citar o nome da presidente, como fez no final de semana, ao afirmar que o país não aguentava mais a gestão de Dilma.

Segundo o governador, muitos problemas atuais foram gerados por decisões erradas do governo da petista. O presidenciável, cujo partido deixou a base governista em 2013, relatou que o Brasil vinha crescendo alinhado com a América Latina, mas perdeu o rumo a partir de 2011. “O mundo foi se organizando na pós-crise, os blocos foram se adaptando, uns com mais dificuldade e outros com menos (…), mas nós erramos em tomar muitas decisões”.

Saiba mais

Alguns temas que Eduardo quer debater pacto Federativo

O governador Eduardo Campos se queixa que a União repassa cada vez menos recursos para os municípios. Ele não falou, ainda, que percentual pretende distribuir para áreas como a saúde, por exemplo, caso se eleja.

Segurança
O Eduardo Campos defende que o Pacto pela Vida seja implantado em todo o Brasil para reduzir os índices de criminalidade.

Educação
O governador Eduardo Campos considera baixo os investimentos realizados em educação no Brasil. Ele e a Rede Sustentabilidade propõe um repasse de 10% do PIB para essa área.

Inflação
A economia é o principal ponto de críticas do governador Eduardo Campos à gestão de Dilma. Ele diz que a presidente errou demais na área e frisa que sua gestão pode levar a perda de conquistas histórias.

Infraestrutura
O governador Eduardo Campos faz críticas ácidas ao governo Dilma em virtude dos baixos investimentos na infraestrutura. Ele também defende uma nova política industrial com agregação de valor.  

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: José Valério Melo
Dilma vai se sair muito melhor do que esse novo "Collor". | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.