• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PT x PSB » Eduardo Granja afirma que segue na Prefeitura do Recife Secretário de Habitação vai contra a ordem do PT de entregar cargos nas gestões do PSB

Franco Benites

Publicação: 28/02/2014 15:57 Atualização:

A Executiva Nacional do PT declarou que os filiados do partido devem entregar todos os cargos que ocupam nos governos do PSB. A medida é uma consequência do acirramento entre a presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição, e o governador Eduardo Campos (PSB), que está de olho na vaga do Palácio do Planalto. No Recife, o secretário de Habitação, o petista Eduardo Granja, afirmou que não vai deixar a gestão Geraldo Julio (PSB).

De acordo com Eduardo Granja, não há motivos para sair do governo do PSB em que pese a disputa nacional do partido com o PT. "A gente está cansando de tanta intervenção da direção nacional sobre as ações locais. Já protocolei no partido um pedido para apresentar o trabalho que está sendo feito na secretaria, os benefícios da nossa aliança programática para o povo, relação disso com o nosso modo petista de governar e não tivemos a chance de ser ouvidos. Chega a nacional e faz uma intervenção mandando sair. Desse jeito, comigo e com meu grupo político não vai ser feito".

A presidente estadual do PT, deputada Teresa Leitão, afirmou que não haveria retaliação de sua parte, mas destacou que o caso está nas mãos da Executiva nacional. Por sua vez, Eduardo Granja está ciente das sanções a que pode ser submetido. "Se o debate é cada que arque com suas consequências a gente arca com as nossas. Pelo nosso estatuto, pode ir de uma advertência a uma expulsão".

O secretário de Habitação do Recife afirma que não quer um embate, mas diz que sua posição é apenas de quem pretende ampliar a discussão entre as alianças do PT. "Nossas posições politicas têm sido para provocar o debate interno. A gente clama para que o partido respeite a história que a gente tem dentro do partido. Tenho 35 anos, mais de 15 anos de filiação partidária". Questionado sobre a permanência na gestão do PSB caso o PT lance candidato próprio, Eduardo Granja foi taxativo: "Não há conflito. uma coisa é o estado, outra coisa é o município".

Nesta sexta-feira (28), Eduardo Granja participou do evento que pede que o PT tenha um candidato próprio ao governo do estado. Defendem a candidatura própria as correntes O Trabalho, Esquerda Marxista Alternativa Socialista e Democrática, Coletivo Esporte e Lazer,  Coletivo Quilombo e Novos Rumos PE. A definição sobre qual caminho a seguir ocorrerá no dia 23 de março.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.