• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Processo do mensalão » Teori tem voto decisivo que poderá derrubar a tese de quadrilha no mensalão Ministros do STF dão como certo que o coelga Teori Zavascki também absolverá os condenados da formação de quadrilha

Estado de Minas

Publicação: 27/02/2014 09:24 Atualização: 27/02/2014 09:48

Os ministros do Supremo Tribunal Federal retomam na manhã desta quinta-feira a votação dos embargos interpostos por oito réus no processo do mensalão acusados de formação de quadrilha. O ministro Teori Zavascki terá o voto decisivo desta última fase do julgamento. Internamente, seus colegas dão como certo que ele também absolverá os condenados da formação de quadrilha.

No ano passado, quando o tribunal julgava a ação penal contra o senador Ivo Cassol (PP-RO), igualmente acusado de formação de quadrilha, Teori defendeu sua absolvição, com os mesmos argumentos usados nessa quarta-feira (26).

No julgamento de outros recursos, Teori votou por alterar as penas definidas pelo tribunal em 2012, quando o mérito das acusações foi decidido. Assim como defendeu Luís Roberto Barroso Teori entendeu que o tribunal aumentou indevidamente as penas e votou por reduzi-las. A sessão de hoje, marcada para 10h, começa justamente com o voto dele.

Caso confirmada a expectativa dos demais ministros, haverá maioria consolidada para extinguir a tese de que o PT montou no Planalto uma quadrilha para desviar recursos públicos e comprar votos no Congresso.

Já votaram pela absolvição Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Barroso e Ricardo Lewandowski. Rosa Weber votou pela absolvição no passado e deve manter tal voto. Marco Aurélio foi contra, mas indicou que poderia mudar. Se isso ocorrer, os réus ficarão livres da pena.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.