• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Comandada pelo PT » Manobra petista adia votações sobre pagamento de propina na Petrobras No limite da tensão entre PMDB e Planalto, PT consegue evitar investigação na Petrobras

Publicação: 27/02/2014 08:32 Atualização:

O baixo número de deputados impediu, na manhã de ontem, que a Câmara votasse o requerimento apresentado pelo PSDB para que a Casa abra investigação sobre a denúncia de pagamento de propina a funcionários da Petrobras. Ontem, a apreciação do requerimento foi adiada por uma manobra comandada pelo PT, que não quer que o pedido de investigação seja aprovado. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), garantiu ontem que o item será o primeiro a ser apreciado no dia 11 de março, quando os deputados voltarem ao trabalho depois das festas de Momo.

"A vida não acaba hoje (ontem), a vida continua. De 11 de março em diante, o PMDB não votará nenhuma matéria sem que esse requerimento seja apreciado previamente. Nós vamos votar tudo, marco civil da internet, tudo o que precisar votar. Mas só depois do requerimento", avisou o líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ).

Um parlamentar importante da oposição atribuiu o adiamento à pressão do Palácio do Planalto."O PT estava perdido, isolado. Havia chance real de aprovar (a investigação na Petrobras). E aí, eles ligaram para a Ideli (Salvatti, ministra da Secretaria de Relações Institucionais), que ligou para Michel Temer, que enquadrou o Henrique", disse.

Para o líder da minoria, deputado Domingos Sávio (PSDB-MG), Henrique Eduardo Alves errou ao adiar a sessão."Vamos perder duas semanas, um tempo que poderia ser precioso para a investigação. Houve mais uma tentativa de impedir o funcionamento da Câmara", criticou.

Para o líder do PP, Anthony Garotinho, a insistência do PMDB em votar o pedido de investigação tem por objetivo atrasar a análise do próximo item da pauta, o marco civil da internet."Nem PT nem PMDB querem realmente votar esse requerimento, pois não se sabe em quem podem respingar as denúncias (de propina na Petrobras). O Eduardo Cunha colocou esse bode na sala para atrasar a votação do marco civil, com o qual ele tem desacordo".

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.