• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Críticas » PT rebate acusação do vereador Fábio Barros sobre falta de diálogo

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 26/02/2014 08:20 Atualização:

Teresa diz que nunca perseguiu ninguém à frente do PT foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A PRESS	 (Blenda Souto Maior/DP/D.A PRESS	)
Teresa diz que nunca perseguiu ninguém à frente do PT foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A PRESS

A presidente estadual do PT, a deputada Teresa Leitão, rebateu as críticas do vereador Fábio Barros, de Paulista, que anunciou a saída do partido. No cargo de secretário do Meio Ambiente do município até esta segunda-feira, ele acusou a legenda de falta de diálogo e perseguição por exigir que os filiados deixem os cargos em governos do PSB. O município de Paulista é administrado por Júnior Matuto. “Me admira ele falar em falta de diálogo. Onde? Com quem? Há cerca de um mês estávamos conversando sobre todo esse processo”.

Para Teresa Leitão, os incomodados com a decisão do PT não podem reclamar da ausência de conversas. “A decisão do diretório nacional (de entrega imediata dos cargos) foi anunciada de forma clara. Eu, particularmente, desde que assumi o comando do diretório estadual, nunca tive posição de perseguição com ninguém. Quem quiser, pode sair do partido. Esse é um direito de cada um, de sair na hora em que bem entender”.

Agora, a expectiva é em relação à postura do secretário de Habitação do Recife, Eduardo Granja. O petista, remanescente do PT no governo Geraldo Julio (PSB), não atendeu às ligações da reportagem. Sobre ele, Teresa Leitão afirma que não é preciso dar mais nenhum aviso. “Tudo o que tinha para ser conversado já foi. O Diretório Nacional tomou para si a decisão sobre a entrega dos cargos”, declarou.

Com o acirramento entre o PT e o PSB no plano nacional e estadual, Teresa Leitão acredita que os quadros do partido terão que escolher de que lado estão. “É uma hora de definição de identidade com o projeto. Na época das vacas gordas, é mais fácil porque todo mundo tem como se acomodar. Mas, da minha parte, não há motivos para retaliações ou perseguições”.



Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.