Pernambuco.com



  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Insatisfação de líderes » Michel Temer se reúne com ministros para tentar abafar crise no governo Vice-presidente, Aloizio Mercadante e Ideli Salvatti tentarão acalmar descontentes que prometem votar projetos de aumentos de gastos caso o Planalto não mude a estratégia de relacionamento com os integrantes da base

Paulo de Tarso Lyra

Publicação: 24/02/2014 08:25 Atualização:

Presidente Dilma espera que os articuladores políticos descubram uma saída para evitar mais problemas foto: Carlos Moura/CB/D.A Press (Carlos Moura/CB/D.A Press)
Presidente Dilma espera que os articuladores políticos descubram uma saída para evitar mais problemas foto: Carlos Moura/CB/D.A Press

O vice-presidente Michel Temer e os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Ideli Salvatti (Secretaria de Relações Institucionais) tentam, a partir de hoje, conter um foco de rebelião de aliados da Câmara que envolve cerca de 250 parlamentares. Com a presidente Dilma Rousseff viajando para Bruxelas, caberá ao trio tentar diminuir a insatisfação de líderes de partidos como o PR, PTB, PP e PMDB, que decidiram, na semana passada, compor um bloco informal para pressionar o Planalto e isolar o PT.

Ainda em Roma, para onde viajou para assistir à nomeação de dom Orani Tempesta como novo cardeal da Cúria Romana, Dilma Rousseff tentou demonstrar pouca preocupação com as pressões dos ainda aliados. “Acho que tem muito de especulação. E eu não vou, de fato, me manifestar sobre especulação. Vamos ver o que acontece de fato”, disse ela.

O anúncio do encontro mostra, na verdade, que Dilma não pretende esperar “para ver o que acontece de fato”. Além de ser o presidente em exercício do país durante a viagem de Dilma ao exterior, Temer foi escolhido para ser um dos interlocutores porque, na linha de frente do bloco rebelde, está o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ). Cunha confirmou ao Correio ter sido convidado por Temer para uma conversa, no fim da tarde de hoje, no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente. “Nós podemos conversar, não há nenhum problema nisso. Mas isso não vai mudar em nada a nossa opinião e a nossa decisão (em formar o bloco)”, assegurou o líder peemedebista.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Rosimar Pereira
Democracia é assim mesmo, o PT pença que pode tudo mas tá redondamente enganado o Brasil mudou e quer respeito. Enguanto pessoas necessitam fazer operação e ninguem ajuda os MENSALEIROS rebebem doações MILIONÁRIAS para pagar multa do MENSALÃO, tá certo isso?? É hora de mudar tudo, renova Brasil | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »