• (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasília » Feliciano e Bolsonaro devem compor Comissão de Direitos Humanos

Tércio Amaral

Publicação: 20/02/2014 09:58 Atualização:

Os deputados Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP) não desistiram de permanecer na Comissão de Direitos Humanos. Os dois, mesmo não ocupando a presidência após as definições na Câmara Federal, devem fazer parte do colegiado. Marco Feliciano, inclusive, presidiu a CDH no ano passado e foi alvo de polêmicas com grupos sociais organizados ligados aos movimentos feministas e que lutam pela igualdade racial, além do GLBT. A presidência da Comissão poderá ficar com o deputado e ex-ministro Nilmário Miranda (MG).

Os líderes da Câmara definiram nesta terça-feira (18) a definição das 22 comissões da Casa, por onde passam os projetos e debates temáticos. Jair Bolsonaro foi cotado como presidente da Comissão de Direitos Humanos, inclusive com o apoio do líder da bancada de seu partido, o deputado federal de Pernambuco Eduardo da Fonte (PP). O PT, preocupado com a repercussão negativa da nomeação, até porque este ano a presidente Dilma Rousseff disputará a reeleição, fez uma manobra e acabou conseguindo voltar ao comando da CDH.

Desde que a Comissão foi criada, em 1995, o PT ocupou por 13 vezes a presidência. O PDT três vezes. PCdoB e PPB, uma. O ex-presidente da CDH, o pastor e deputado Marco Feliciano, declarou ao jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira (20) que não prevê maiores polêmicas na Comissão. "Nós limpamos a pauta de projetos polêmicos no ano passado. A comissão está light". Nos bastidores, circula a informação que Feliciano e Jair Bolsonaro pretendem "grudar" na CDH para ganhar os holofotes da mídia e garantirem a reeleição. O PSC e o PP acreditam que as polêmicas podem transformar os dois em "puxadores de voto" nestas eleições.

"Eu vou para a comissão para evitar toda aquela promiscuidade. Quem for pra lá não vai ter vida fácil. Não vai ter esse seminário GLBT infantil", revelou Bolsanaro. O PT costurou um acordo com o PTB ficar com a Comissão de Direitos Humanos. Além desta comissão, o partido ficou com as Comissões de Saúde, defendida pelo Palácio do Planalto, e de Constituição e Justiça, a mais importante da Casa. O PP ficou a Comissão de Minas e Energia.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: charles lima
Esses dois camaradas são o mal necessário,pois é com as atuações desses dois debi e loide, que nós conseguimos enxergar o quanto nós eleitores somos imbecis,e por causa desses dois que nós temos que votar em outros porque se não a coisa vai ficar pior! | Denuncie |

Autor: Antonio Silva
Apoio totalmente a presença desses dois deputados, que nunca tiveram seus nomes envolvidos em corrupção e roubalheira. São vítimas de uma imprensa marrom, tendenciosa e defensora de lgbtt e ativistas afins! Tentam a todo custo denegrir a imagem desses senhores...Eles me representam! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.