Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Comunicação » Henrique Alves vai pedir urgência para aposentadoria de pessoal de imagem O projeto de lei cria condições especiais para outros trabalhadores contratados por empresas de comunicação, que precisem se deslocar carregando equipamentos

Agência Brasil

Publicação: 18/02/2014 18:46 Atualização:

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) disse nesta terça-feira (18/2) que vai pedir aos líderes dos partidos a tramitação em regime de urgência do projeto que cria aposentadoria especial para fotógrafos e cinegrafistas.

"Eu acho que este é o momento de cuidar da questão. Vou distribuir aos líderes o texto do projeto e pedir para que analisem com suas bancadas. e se tudo der certo, na próxima terça-feira (18/2), pedir urgência e encaminhar para o plenário", disse Alves, que se reuniu, de manhã, com representantes da categoria.

O projeto de lei (PL 6781/10) em questão é de autoria do deputado Marco Maia (PT-RS) e cria condições especiais e de aposentadoria para fotógrafos, repórteres cinematográficos, cinematografistas, auxiliares e outros trabalhadores contratados por empresas de comunicação, que precisem se deslocar carregando equipamentos, ou mantendo-os sobre os ombros. Pela proposta, esses profissionais também teriam direito a aposentadoria após 30 anos de serviços prestados.

"Nós queremos, com esta iniciativa, alertar sobre a importância da categoria que, embora não apareça na tela da televisão e nas fotos dos jornais, é responsável pelas imagens e fotografias vistas no Brasil e no mundo", disse Maia, que acrescentou estar convicto de que os líderes partidários aceitarão o pedido de urgência.

"Tenho certeza que o presidente Renan Calheiros [senador do PMDB-AL, que preside o Congresso] também dará o regime de urgência no Senado, e nós votaremos imediatamente lá também", disse.
O texto estabelece ainda o pagamento de adicional no valor de 50% por hora ou fração superior a 15 minutos trabalhados e a uma folga semanal a cada 14 dias, desde que tenham realizado nesse período pelo menos um trabalho externo.

"O que nós estamos pedindo a esta Casa é que se devolva à categoria de trabalhadores o que lhes é de direito. Pena que só após este momento de tristeza a proposta tenha avançado", ponderou o coordenador do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal (SJDF), Wanderlei Pozzebon, referindo-se à morte do ex-cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, que morreu após ser atingido na cabeça por um rojão, quando registrava uma manifestação no último dia 6, no Rio de Janeiro.
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »