• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ataque » MPF pede 36 anos para general por participação no atentado do Riocentro À época, Cruz confessou aos procuradores que soube, ao menos uma hora antes, do plano para o ataque

Correio Braziliense

Publicação: 18/02/2014 07:25 Atualização:

O Ministério Público Federal (MPF) do Rio de Janeiro pediu nessa segunda-feira pena mínima de 36 anos e seis meses de prisão para o general reformado Newton Cruz por participação no atentado do Riocentro, em 1981. Chefe da Agência Central do Serviço Nacional de Informações (SNI) à época, Cruz confessou em depoimento aos procuradores que soube, ao menos uma hora antes, do plano para o ataque durante o show do Dia do Trabalho. Entre os seis responsabilizados pelo MPF por envolvimento no caso, o general reformado é o que foi denunciado por mais crimes: cinco. Os procuradores entendem que o general poderia ter evitado o atentado, mas não o fez. Somadas, as penas de Cruz poderiam chegar a 67 anos de prisão, se todas as punições máximas fossem aplicadas.

Além de Cruz, o MPF responsabilizou pelo atentado o hoje coronel reformado Wilson Machado (do DOI-I), Nilton Cerqueira (então comandante da Polícia Militar fluminense), o major reformado Divany Barros (agente do DOI-I), o hoje general reformado Edson Sá Rocha e o delegado Cláudio Guerra. Guerra, Cerqueira e Wilson Machado foram responsabilizados por quatro crimes, e o MPF pede para eles uma pena mínima de 36 anos de prisão.

O MPF continua a investigação para identificar outros militares que queriam continuar praticando os atentados e está disposto a oferecer delação premiada (chamada pelo MPF de contribuição premiada) para pessoas que ofereçam novas informações sobre o caso.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.