• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Passo acelerado » PT e PSDB mexem-se de olho na campanha eleitoral, que só começa em julho Dilma participa de festa dos petistas em São Paulo e Aécio visita a sede do AfroReggae, no Rio

Publicação: 11/02/2014 07:08 Atualização: 11/02/2014 08:54

Dilma sobe em palanque São Paulo, enquanto Aécio vai a outro no Rio de Janeiro foto: Iano Andrade/CB/D.A PRESS (Iano Andrade/CB/D.A PRESS)
Dilma sobe em palanque São Paulo, enquanto Aécio vai a outro no Rio de Janeiro foto: Iano Andrade/CB/D.A PRESS

Oficialmente, o período de campanha eleitoral só começa em julho, mas os principais partidos já estão com o passo acelerado. Ontem mesmo, petistas e tucanos ensaiaram o tom com eventos que miram as urnas em outubro. A festa de aniversário de 34 anos do PT, por exemplo, foi marcada pela exaltação do governo da presidente Dilma Rousseff, que tentará a reeleição. Já no campo da oposição, o senador e pré-candidato à Presidência pelo PSDB, Aécio Neves (MG), aproveitou a segunda-feira para visitar a sede do AfroReggae, no Rio de Janeiro, onde o partido ainda não tem candidato ao governo estadual. Em tom de campanha, Aécio voltou a atacar o governo federal.

Ao abrir o evento do PT, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, declarou que a proposta era reafirmar o compromisso com Dilma. “Quero desejar que o dia seja um marco importante na nossa trajetória de consolidação da transformação do Brasil, iniciada em 2003, com o presidente Lula, e que a senhora encarna um projeto de transformação", discursou. A própria organização do ato em homenagem ao PT foi estrategicamente pensada para enaltecer a presidente. O evento, que ocorreria em Brasília, foi transferido para a capital paulista, e o novo slogan do partido lançado na festa - “Sempre em frente, sempre à frente” - deverá ser incorporado ao discurso de reeleição da presidente.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não participou do evento, pois está em Nova York, em agenda com o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, mas gravou vídeo exibido em telão. Em contrapartida, a legenda deu espaço para o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha e para o senador Lindbergh Farias (RJ), pré-candidatos petistas aos governos de São Paulo e do Rio de Janeiro, respectivamente. Dilma, por sua vez, atacou os adversários: “Os pessimistas aproveitam os desequilíbrios de uma conjuntura internacional muito difícil para dizer que o fim do mundo chegou. O fim do mundo chegou, sim, mas para eles”.

“Trágico”
Mais cedo, no Rio de Janeiro, em visita à sede do AfroReggae, o discurso de Aécio Neves também foi repleto de críticas. O senador atacou os resultados na área econômica e ironizou o apagão que várias cidades do país sofreram na semana passada. “Estou muito preocupado. Nenhuma área teve atuação tão pessoal da presidente como a área da energia. O governo afugentou os investidores. Seria cômico se não fosse trágico, mas é trágico. Só não temos apagão em mais extensão porque o Brasil parou de crescer”, criticou, referindo-se ao fato de Dilma ter sido ministra de Minas e Energia no governo Lula.

O tucano aproveitou o tema para alfinetar a gestão econômica do governo federal. “Se estivéssemos crescendo como apregoou o ministro da Fazenda, não teríamos energia. A falta de planejamento e a incompetência chegaram num setor absolutamente essencial, e o que esperamos pela frente é mais crescimento pífio da economia”, disse.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.