Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mensalão mineiro » Eduardo Azeredo acusado de caixa dois diz ser tão inocente quanto Lula

Filipe Barros - Diario de Pernambuco

Publicação: 10/02/2014 10:04 Atualização:

O deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB), ex-governador de Minas Gerais, acusado de crimes de peculato e lavagem de dinheiro pela Procuradoria Geral da República no processo conhecido como mensalão mineiro, afirmou que não foi questionado por ações da Visanet na Ação Penal 270 e não pode ser responsabilizado, logo, é tão inocente quanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Se condenado, o deputado poderá pegar até 22 anos de prisão e receber uma multa de R$ 451 mil, de acordo com o pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A informação é da Folha de S. Paulo desta segunda-feira (10).

Na ação penal que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), são investigadas denúncias de desvio de dinheiro público durante a campanha de Azeredo, então governador de Minas Gerais que disputava a reeleição, em 1998, implantando o caixa dois tucano. O deputado teria se associado ao grupo do empresário Marcos Valério para um esquema que desviava verbas e arrecadação de recursos. Azeredo é acusado de ter autorizado o desvio de R$ 3,5 milhões (cerca de R$ 9,3 milhões em valores atualizados) do banco estatal Bemge e de duas empresas públicas. Outros acusados respondem a acusações na primeira instância da Justiça de Minas, porque não têm foro privilegiado.

“Embora negue ter participado dos fatos, as provas colhidas, como se verá ao longo da denúncia, desmentem sua versão defensiva", diz trecho da denúncia. No caso petista sobre compra de apoio político, a tese central das condenações do STF é que o esquema foi alimentado por empréstimos e recursos controlados pelo Banco do Brasil no fundo Visanet.

De acordo com um texto divulgado pela assessoria do deputado, Eduardo Azeredo está confiante no julgamento que o STF fará após ouvir as alegações da defesa.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »