Pernambuco.com



  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Liberdade negada » Pizzolato tem liberdade provisória negada pela justiça italiana

Filipe Barros - Diario de Pernambuco

Publicação: 07/02/2014 10:35 Atualização: 07/02/2014 13:46

Pizzolato foi preso pela Polícia Federal na manhã da quarta-feira 5. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Pizzolato foi preso pela Polícia Federal na manhã da quarta-feira 5. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, condenado a 12 anos e sete meses de prisão no processo do mensalão, Henrique Pizzolato teve o pedido de liberdade provisória negado pela Justiça italiana nesta sexta-feira (7). Segundo a recusa, Pizzolato não poderá esperar em liberdade a decisão sobre sua extradição para o Brasil por estar sujeito a "perigo de fuga".

Pizzolato chegou na Corte de Apelação de Bolonha por volta das 10h10 (horário local) dentro de um furgão da Polícia Penitenciária e seguiu para o primeiro andar do Palazzo di Giustizia, onde foi ouvido. Não foi possível vê-lo por conta da película do vidro do veículo. Mais cedo, a mulher do mensaleiro, Andréa Eunice Haas, chegou ao local mas, muito irritada, não quis falar com a imprensa. Pizzolato deixou o tribunal dentro de um furgão azul com destino à penitenciária de Modena, às 13h40m (horário local).

O advogado de defesa do ex-diretor, Lorenzo Bergami, disse que seu cliente falou às autoridades por cerca de meia hora em um “italiano perfeito" durante 30 minutos e se manifestou contra a extradição por considerar “político” o julgamento do processo do mensalão no Brasil. Na Itália, o ex-diretor deverá responder ainda a processo por falsidade ideológica em razão do uso de documentos falsos. A pena pode chegar a três anos de prisão.

Saiba mais
Pizzolato foi preso pela Polícia Federal na manhã da quarta-feira (5), na cidade de Maranello (a 322 km de Roma), norte da Itália, durante operação conjunta com a polícia local. O ex-diretor fugiu para a Itália em novembro de 2013. Ele passou a ser considerado foragido pela Polícia Federal e teve o nome incluído na lista da Interpol de procurados em mais de 190 países.

Pizzolato tem dupla cidadania e tenta conseguir um novo julgamento na Itália e, por isso, não teria se entregado à Justiça brasileira depois que foi condenado no processo do mensalão. O ex-diretor do BB teria fugido do Brasil via Buenos Aires, na Argentina, de onde seguiu para a Itália, usando um passaporte falso do seu irmão, já falecido. Dos 12 mandados de prisão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão, apenas a ordem contra Pizzolato não foi cumprida.

De acordo com a decisão judicial, Pizzolato deve cumprir pena em regime fechado, em presídio de segurança média ou máxima, pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro.

Com informações de agências

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: Breno Cunha
O PT quer destruir a imagem do Joaquim Barbosa, homem do POVO e que norteou toda sua vida em atitudes dignas. A quadrilha do PT ficou milionária roubando o POVO, desviando dinheiro público. É notório que o PT é uma mentira e cria política assistencialista para enganar o POVO. Fora DILMA. | Denuncie |

Autor: Breno Cunha
A REDE GLOBO e toda imprensa devia dizer claramente que Pizzolato é do PT, partido de Dilma e Lula. Fora o PT, fora DILMA. Como Pizollato vota na eleição duas vezes? Este é o Governo do PT, acham que podem fazer tudo. Lugar de bandido é na cadeia. | Denuncie |

Autor: Breno Cunha
Dilma e Lula deviam se pronunciar sobre a prisão do Pizzolato. Com tanta facilidade conseguiu documentos falsos e até votou no PT duas vezes. O Governo do PT é só corrupção e quem paga a conta é o POVO. Vamos votar contra Lula e Dilma, chega de corrupção. Pizzolato é um Bandido. | Denuncie |

Autor: Breno Cunha
Acorda meu POVO!!! O PT é um engodo, um bando de corrupto. Pizzolato filiado e protegido do PT agora preso na Itália vai sentir o peso da justiça italiana. Lugar de bandido é na cadeia. FORA DILMA, fora o PT. Basta de corrupção. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »