• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Solução interna » Petistas planejam a volta do ex-presidente Lula à Presidência da República em 2018

Tércio Amaral

Publicação: 05/02/2014 09:51 Atualização: 05/02/2014 12:08

 (Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

A campanha de 2014 nem começou mas os petistas começam a alimentar um velho sonho: a volta do ex-presidente Lula no comando do Palácio do Planalto em 2018. Integrantes do partido começam a avaliar qual seria o candidato ideal quando se encerraria um eventual segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, também do PT. As especulações voltaram depois de que o ministro Aloizo Mercadante assumiu a Casa Civil. As informações são do Poder Online (iG).

Na avaliação dos petistas é que um candidato novo precisaria de um cenário econômico favorável. Incrédulos, os petistas também avaliam que é preciso uma gestão muito bem avaliada, o que não vem ocorrendo com a gestão da presidente Dilma Rousseff (PT), que começa a se recuperar após os protestos do ano passado. Aliás, outro fator importante nas contas da cúpula é que Lula não teria a mesma capacidade de transferir votos, como aconteceu na eleição de 2010.

A solução mais direta de alguns membros é colocar o próprio ex-presidente na disputa de 2018, que enfrentaria uma oposição fortalecida com as eleições deste ano, com o projeto de candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), um antigo aliado. Os mais céticos dizem que, assim como acontece agora com Mercadante, o hoje desgastado do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, já foi cotado para disputar a Presidência.

“O Lula já começou a deixar a barba crescer. Portanto, é melhor alguns por aí colocarem o bigode de molho”, disse um petista mais empolgado com o projeto. Uma ala do partido defende a candidatura do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, que poderá disputar o governo de São Paulo na eleição deste ano. Mas sua candidatura presidencial ainda vai depender da capacidade de conquistar votos e mostrar uma boa gestão no maior colégio eleitoral do país.

De qualquer forma, diz outro dirigente, qualquer especulação nesse sentido só vale se Dilma ganhar a eleição. Se perder, naturalmente, Lula volta com força total.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.