Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Consolidação » Diretrizes para formar o discurso e buscar aliados

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 05/02/2014 07:21 Atualização: 05/02/2014 08:25

Ao avançar na consolidação do programa de governo da aliança PSB/Rede, o governador Eduardo Campos (PSB), virtual candidato à Presidência da República em 2014, tem agora elementos para fundamentar o discurso em busca de novos aliados. Ontem, o PPS, que recentemente declarou apoio a Campos, participou do evento de lançamento das diretrizes do programa de governo (embasado em cinco eixos), carimbando assim, oficialmente, a inclusão do partido na coligação PSB/Rede.

No discurso de chegada à aliança, o presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire (SP), disse “estar em casa” ao comentar a forma como as diretrizes foram apresentadas. “É necessário ter essa consciência de um país diferente. O PPS, ao ler esse projeto, vislumbrou isso na postura da candidatura para presidente do Brasil de Eduardo Campos”, pontuou.

O mesmo caminho dos pós-socialistas deverá ser seguido pelo PPL e PHS. No mês passado, o próprio Eduardo declarou que os dois partidos também irão receber a proposta que socialistas e marineiros defendem para o país. O PPL, inclusive, foi o primeiro a acenar para o projeto nacional do governador. O evento aconteceu em São Paulo, em novembro do ano passado, quando a sigla decidiu abandonar o projeto idealizado pelo ex-presidente Lula (PT) e aderir ao PSB.

Na estratégia para fortalecer o projeto nacional, Eduardo ainda espera conquistar o apoio do PDT que está na base do governo Dilma. Representantes do partido, inclusive, a exemplo dos senadores Cristovam Buarque (DF) e Pedro Taques (MT) e o deputado federal Antonio Reguffe (DF), prestigiaram o evento PSB/Rede.

Integrantes de outras correntes políticas, que também estão na mira dos socialistas, estiveram ontem apresentação do programa. Na lista de presença a senadora Ana Amélia (PP/RS), a deputada estadual Aspásia Camargo (PV/RJ) e o deputado federal Miro Teixeira (Pros/RJ).

Na estratégia pela busca de aliados, a aliança PSB/Rede deverá enfrentar dificuldades para conquistar o PCdoB. A sigla, que ocupa o Ministério do Esportes no governo Dilma, não deverá se render aos encantos socialistas. (Rosália Rangel)

Saiba mais

Os cinco eixos do programa de governo PSB/Rede

Estado e a democracia de alta intensidade
A aliança PSB/Rede definiu como missão desfazer as amarras do patrimonialismo, publicizar o Estado, diminuir a burocracia e criar canais de participação da cidadania na definição e controle social das políticas públicas

Economia para o desenvolvimento sustentável
Estabilidade monetária e a confiança constituem a base indispensável na criação de um ambiente favorável aos investimentos para esse novo ciclo de desenvolvimento, que tenha como resultado índices de crescimento compatíveis com a potencialidade do Brasil e com os objetivos de sustentabilidade

Educação, cultura e inovação
Educação e cultura devem ser concebidas como áreas articuladas, em constante diálogo com os temas e tecnologias do século 21 e com estímulo às inovações que respondam aos desafios contemporâneos

Políticas sociais e qualidade de vida
As políticas sociais devem contribuir de modo decisivo para o combate das desigualdades, para a melhoria da distribuição de renda e riqueza, para a ampliação da felicidade, da qualidade de vida e bem estar da população

Novo urbanismo e o pacto pela vida
A aliança PSB/Rede identifica na questão urbana um dos problemas mais expressivos que se apresenta ao Brasil e, consequentemente, àqueles que governarão a partir de 2015.



Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »