Pernambuco.com



  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições de 2014 » Em lançamento de diretrizes, Eduardo Campos diz que o "Brasil parou"

Tércio Amaral

Publicação: 04/02/2014 12:09 Atualização: 04/02/2014 16:36

 (Zeca Ribeiro/Agência Câmara)

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), virtual candidato à Presidência da República, declarou que a atual gestão do governo federal apresenta sinais de esgotamento. O socialista participou, na manhã desta terça-feira (4), do lançamento das diretrizes do programa do PSB/Rede Sustentabilidade para as eleições deste ano. O pernambucano criticou o baixo crescimento econômico e a falta de competência da máquina pública em solucionar velhos gargalos, como os transportes e a alta carga tributária.

“Nós temos a clara percepção de que as pessoas estão vendo que o Brasil parou, que o país saiu dos trilhos que vinha. O Brasil estava avançando no sentido de melhorar a vida das pessoas. A sensação da freada, do desencontro, das ideias, da crítica para melhorar”, criticou Eduardo durante seu discurso no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

 

O governador também focou seu discurso na melhoria do serviço público. Eduardo Campos lembrou das dificuldades que o Brasil enfrenta na educação e na criação de creches. Num tom mais político, ele chegou a dizer que nem os que participam da atual gestão presidencial confiam nela plenamente. “Ninguém ache que mais de quatro anos do que está aí vai fazer bem ao povo brasileiro. Nem eles mesmos. Porque muitos não têm coragem de dizer o que eu estou dizendo aqui. Muitos dos que estão lá, dizem a mim, a Marina, que estão contando as horas para estarem aqui”.


Como tem feito recentemente, Eduardo Campos não citou o nome da presidente Dilma Rousseff (PT), que até o ano passado era sua aliada. O governador lembrou das conquistas econômicas do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), mas ponderou que na época era da oposição. Aliás, em relação ao tucano ele lembrou que o PSB não fazia oposição com “sete pedras nas mãos”, como fazem ou fizeram alguns partidos na mesma época.

“Nós não vamos fazer o jogo daqueles que querem baixar o nível do debate político, como fizemos desde a zero hora deste ano. Nossa militância sai das ruas sem querer desqualificar ninguém. Nós não tememos debate, não tememos o desespero que já se bate sobre alguns que não pensam na nação e pensam na máquina e se desesperam em perder”, completou. Eduardo Campos foi o último a discursar.

Confira os cinco eixos para as diretrizes do programa de governo do PSB/Rede:

• Estado e a Democracia de alta intensidade; • Economia para o desenvolvimento sustentável;
• Educação, cultura e inovação;
• Políticas sociais e qualidade de vida;
• Novo urbanismo e o pacto pela vida.

O documento completo pode ser lido aqui.

 

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: jurandi sousa
É, isso mesmo Eduardo. Juntamente com o PSDB e outros vamos a luta. Desesperados esta os que mamam na teta do estado que não muda e que não melhora a vida das pessoas que paga impostos e nada de contrapartda, | Denuncie |

Autor: Joao Fonseca
Excelente. Temos um homem inteligente, sagaz, que tem tudo para ser o nosso estadista. Leiam as paginas amarelas da Veja desta semana. Matéria muito boa e altamente esclarecedora. O Cientista Político, deixa claro que precisamos de um Estadista, de uma pessoa com ampla visão. Que pense no longo prazo | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »