Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Novas críticas ao Governo Federal » Números de Pernambuco para contrapor discurso de Dilma Eduardo Campos utilizou balanço de sua gestão em 2013 para criticar cenário econômico nacional

Cláudia Eloi - Diario de Pernambuco

Publicação: 04/02/2014 07:49 Atualização:

Governador apresentou os resultados, ontem, na Assembleia Legislativa foto: Eduardo Braga/SEI (Eduardo Braga/SEI)
Governador apresentou os resultados, ontem, na Assembleia Legislativa foto: Eduardo Braga/SEI

No mesmo dia em que a presidente Dilma Roussef (PT) fez um balanço dos seus três anos de governo, assegurando que os fundamentos macroeconômicos com o crescimento da economia e da inclusão social no país foram cumpridos, o governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB) lançou mãos dos resultados da economia de Pernambuco para se contrapor ao discurso da petista. Ontem, na abertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa, o socialista fez, durante uma hora e dez minutos, um balanço sobre as ações do governo e falou dos investimentos previstos para 2014.

O governador afirmou que 2013 foi atípico e difícil. Que a política de desoneração do governo federal fez com que a crise mundial atingisse fortemente o Brasil. “A crise que impactou as principais economias globais desde 2008 e que veio afetar significativamente a economia brasileira desde 2011 recrudesceu no país em 2013, em função da manutenção de um modelo econômico calcado em desonerações tributárias para estímulo ao consumo, política que além de não ter sido capaz de gerar riquezas para o país e de afastar a ameaça da volta da inflação, ainda penalizou fortemente as receitas do nosso estado e municípios”, discursou o socialista.

Apesar das dificuldades, o governador disse que Pernambuco “fez o dever de casa” e que, desde 2012, o estado tem sido um dos que mais investe dentre todos entes da Federação. De acordo com Eduardo, no ano passado o volume de investimento do estado só foi menor do que o de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. “Investimos, no total, R$ 3,8 bilhões em 2013 (R$ 800 milhões a mais que no ano anterior), o que significa um aumento real, descontada a inflação, de 368% na capacidade de investimento do estado, quando comparada à média observada entre 2003 e 2006”, disse no pronunciamento.

Segundo o governador, o estado registrou um superávit de R$ 951,9 milhões, no exercício 2013. “Pernambuco manteve no ano passado seu crescimento econômico em patamares superiores ao do Nordeste e ao do país. Em seis anos, o estado dobrou o valor absoluto do seu PIB e espera-se que, em 2019, esse valor seja novamente duplicado”, destacou.

Na última semana, o Banco Central divulgou um relatório afirmando que Pernambuco teve um deficit em torno de R$ 1 bilhão. Após o evento na Assembleia, o governador foi indagado sobre o assunto. O socialista disse que os recursos da poupança feitos por Pernambuco não foram levados em consideração pelo Banco Central. “O estado passou com uma poupança de R$ 1,4 bilhão de 2012 para 2013 e foi o estado que mais investiu de todas as regiões, ficando abaixo de Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. Somos o quarto estado em investir em recursos e financiamento público. Esses recursos da poupança, de um ano para o outro, e do que vem de financiamento, de empréstimos, não são contabilizados pelo Banco Central no momento de calcular o superávit”, explicou. Além da análise macroeconômica do país, o governador destacou realizações de seu governo nas áreas de saúde, segurança pública, educação e infraestrutura.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »