• (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Já pode começar na segunda-feira » Pedro Corrêa é autorizado a trabalhar em clínica de Garanhuns Decisão foi da juíza de Caruaru. Entretanto, há polêmica porque o processo ainda está na 1ª Vara, no Recife

Júlia Schiaffarino

Publicação: 31/01/2014 07:26 Atualização: 31/01/2014 12:41

Corrêa vai trabalhar de segunda a sábado foto: Gil Vicente/DP/D.A PRESS (Gil Vicente/DP/D.A PRESS)
Corrêa vai trabalhar de segunda a sábado foto: Gil Vicente/DP/D.A PRESS

O ex-deputado federal Pedro Corrêa, preso por envolvimento no esquema do Mensalão, obteve autorização da Justiça para trabalhos externos. Ele irá prestar serviços como médico radiologista na Clínica Armando Q. Monteiro, em Garanhuns, Agreste de Pernambuco, podendo começar já nesta segunda-feira. O político receberá um salário de R$ 2,5 mil para fazer atendimentos diariamente, das 8h às 17h30, com direito a duas horas de almoço. Aos sábados, a rotina vai se encerrar às 12h. Corrêa não exerce a profissão desde a década de 1970, quando começou na vida pública.

A proposta de trabalho feita pela clínica ao ex-deputado é consequência de uma solicitação direta do prefeito de Garanhuns, Izaías Régis (PTB). “O filho dele (Fábio Corrêa) me procurou e eu atendi um pedido dele, sugerindo à clínica que empregasse Corrêa. Acho que vai ser muito bom para ele porque é uma clínica popular”, disse, lembrando que é amigo do filho de Pedro Corrêa desde 1998.

Em uma página na internet, porém, o nome do gestor aparece como administrador do local. Ele nega. “Eu era presidente da Associação Comercial que tem parceria com a clínica, aí muita gente confunde”, afirmou. De acordo com o gerente administrativo da clínica, Dorival Santana, Izaías Régis teria se desligado da Armando Q. Monteiro “há alguns anos”, mas ele não soube precisar quanto tempo fazia.

Competência

Indagado sobre as qualidades profissionais de Pedro Corrêa para exercer o cargo, Santana admitiu que ainda não havia analisado detalhes do currículo. “Para cada coisa existe seu tempo. Não vimos detalhes. Ainda temos que conversar”, respondeu. Trinta quilômetros afastam a clínica que Pedro Corrêa irá trabalhar do presídio de Canhotinho, onde ele cumpre a pena de sete anos e dois meses em regime semiaberto.

Saiba mais

Pesaram na decisão

Distância de 30 quilômetros considerada curta pela defesa entre presídio de Canhotinho e a clínica (onde ele cumpre a pena de sete anos e dois meses em regime semiaberto.

A instituição onde ele trabalhará é privada (receberá um salário de R$ 2,5 mil)

Pedro Corrêa recebeu várias propostas de emprego, duas delas, inclusive, feitas por prefeituras próximas

Impasse jurídico

O benefício de trabalho externo foi concedido a Corrêa pela juíza da 3ª Vara de Execuções Penais, em Caruaru, Orleide Rosélia

Processo ainda está na 1ª Vara, no Recife, com o juiz Luiz Rocha

Para o juiz, seria necessário aval do Supremo Tribunal Federal para transferir competência para a vara de Caruaru, algo que só poderia ocorrer na próxima semana, quando o ministro Joaquim Barbosa retorna de viagem.

Os advogados de Corrêa discordaram e dizem que o Supremo, em momento nenhum, disse que precisaria desse aval

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: oliver oliveira
num instante arrumaram um emprego pra esse cara,enquanto em PE.tem tanto pai de familia desempregado há anos,querendo trabalhar por menos,do que esse mensaleiro ta ganhando. | Denuncie |

Autor: oliver oliveira
se imitam tudo dos estados unidos,só não imitam as leis daquele pais,nem o salario minimo.porque o pobre não tem essa regalia? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.