• (6) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Indecisão » A 10 meses das eleições, parte de eleitores sabe o que escolherá nas urnas De acordo com pesquisa Ibope divulgada em novembro de 2013, com os três candidatos postos, 21% das pessoas optariam pelo voto nulo ou branco e outros 15% não saberiam em quem votar

Correio Braziliense

Publicação: 12/01/2014 10:22 Atualização:

Se as eleições para a Presidência da República fossem hoje, os três principais presidenciáveis — Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) — teriam, cada um, pelo menos um voto garantido. São apostas certas da servidora pública Márcia Vilela, 45 anos, da empregada doméstica Carmélia Neres dos Santos, 38, e do cientista político André Atadeu, 22, à cadeira no Planalto. A menos de 10 meses do primeiro turno das eleições, eles já têm segurança do que irão digitar na urna. Ao Correio, eles elencaram os motivos de, diferentemente de boa parte do eleitorado ainda indefinido, já terem certeza do nome escolhido, caso o cenário continue o mesmo.

Especialistas avaliam que os três moradores da capital federal não são maioria. Para eles, a esta altura do campeonato, é natural que grande parte dos brasileiros não esteja convicto de seus votos. De acordo com pesquisa Ibope divulgada em novembro de 2013, com os três candidatos postos, 21% das pessoas optariam pelo voto nulo ou branco e outros 15% não saberiam em quem votar — tal percentual aumenta para 40% na pesquisa espontânea. O trio de Brasília, no entanto, explica a razão de não estar na lista. Os motivos são variados: vão desde a gratidão por programas de governo ao desejo de ver novas caras na política. Aliados, como o caso da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, que está com Campos e é possível candidata a vice na chapa, também agregam votos.

Para Rui Tavares Maluf, cientista político e coordenador do curso de opinião pública e inteligência de mercado da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, os dados sobre intenções de voto, agora, são voláteis. As últimas pesquisas indicam que Dilma Rousseff teria uma reeleição certa, no entanto, tudo pode mudar no cenário político. De acordo com levantamento do Instituto Datafolha, divulgado em dezembro, a presidente aparece com 47% das intenções de voto. Em seguida, vem o ex-governador de Minas Gerais, com 19%, e, Campos, com 11%. De acordo com o Ibope, Dilma venceria com 43% das intenções, seguida por Aécio, com 14%, e Campos, com 7%.

Esta matéria tem: (6) comentários

Autor: cláudia menezes
Uma coisa é certa: o povo quer mudança. É cedo para acharmos um vencedor, até porque o quadro pode mudar, mas é necessário que o pt saia do poder. Chega de pt! | Denuncie |

Autor: Eduardo Fernandes
Chega de governo petista corrupto e mensaleiro. É hora de darmos um basta ! Eu e minha familia votaremos em Aecio Neves, mas qualquer candidato que não seja o PT já melhora (e muito) o nosso pais. | Denuncie |

Autor: alice oliveira
Não creio que isso é uma situação permanente, como já vimos anteriormente em varias eleiçoes, as intenções de voto mudam muito, afirmar que vai votar em tal candidato, antes das campanhas começarem e os outros candidatos exporem seus ideais, não pode se dar como uma afirmação. Tudo ainda é incerto! | Denuncie |

Autor: Lucas Lage
60% dos eleitores já sabem o que vão fazer nas urnas, não irão votar no PT. O Povo quer mudança, é hora do Aécio ou Campos! | Denuncie |

Autor: Debora Saraiva
Ainda estamos longe para fazer afirmações deste tipo, se os eleitores sabem que vão escolher nada impede de ao longo do processo eles mudarem de opinião, assim que as ideias forem ficando mais claras e os projetos debatidos. | Denuncie |

Autor: rosa vieira
É cedo para apostarmos num vencedor, mas uma coisa é certa, o povo quer mudança, e não será o governo que está aí que mudará alguma coisa. Aécio é a grande promessa de dias melhores e para o Brasil! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.