• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Preparativos » Segurança na Copa, o calo de Dilma Planalto remaneja funcionários para a Secretária-Geral da Presidência, responsável pela articulação com os movimentos sociais

Grasielle Castro

Publicação: 11/01/2014 07:11 Atualização:

Depois do desgaste sofrido com as manifestações durante a Copa das Confederações, em junho do ano passado, a presidente Dilma Rousseff resolveu tomar para si o controle sobre tudo que envolve o Mundial de futebol. Em uma das reuniões para tratar da organização do Mundial de futebol, a presidente, que viu a popularidade despencar durante os jogos, pediu ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que tente garantir a segurança sem nenhuma falha. A preocupação dela com a proteção dos brasileiros, turistas, delegações e chefes de estados, pelo menos resultou em uma medida concreta. Esta semana, foi publicado um decreto que, em uma estratégia de reforço, remanejou funcionários para a Secretaria-Geral da Presidência, responsável pela ponte entre o governo e os movimentos sociais. Além da segurança, a presidente está de olho em todo cronograma do evento.

O decreto prevê que a função dos funcionários seja a “promoção do diálogo com os movimentos e segmentos sociais por ocasião da Copa do Mundo de 2014”. O documento foi chancelado pelo governo no momento em que ocorre uma convocação para o fim do mês de uma manifestação com uma bandeira anti-Copa. Nesse contexto, a presidente também discutiu com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, o lançamento de um programa para o Mundial, o Brasil Voluntário. Na edição anterior do programa direcionado para a Copa das Confederações, o governo fez uma grande festa em torno da ação, lançada nesta época do ano.

Ontem à tarde, o Ministério do Esporte anunciou, na página do Portal da Copa em uma rede social, que haverá novidades sobre o Brasil Voluntário. Diferentemente do ano passado, a pasta não confirmou se há planos para o lançamento e se limitou a dizer que as inscrições abrem no próximo dia 14, sem mais detalhes. O programa é uma ação ampla, que conta com o apoio dos ministérios da Defesa, do Turismo, da Ciência e Tecnologia, da Casa Civil, das Relações Exteriores, do Trabalho, da Educação, da Saúde, da Justiça, do Planejamento, de Orçamento e Gestão, além da Secretaria de Aviação Civil. Alguns dos comandantes das pastas participaram da reunião de quarta-feira com a presidente para discutir as preparações para a Copa.

Inaugurações
No encontro, Dilma também aproveitou para bater o martelo sobre a data de lançamento dos estádios. O novo Beira-Rio, localizado em Porto Alegre, será o próximo a receber a presidente para cortar a fita inaugural, no fim da próxima semana. No dia 22, será a vez da Arena das Dunas, em Natal. Em uma rede social, o Ministério do Esporte anunciou que o primeiro evento de teste no Beira-Rio será no dia 29. A decisão de cuidar de perto do Mundial foi influenciada pela crítica do presidente da Fifa, Joseph Blatter, com relação ao atraso das obras. Na época, a presidente respondeu pelo Twitter que essa será a “Copa das Copas”.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: aldir da paz
o calo da Dilma é a segurança e muitos outros. PIB baixo, saúde ruim, educação ruim, corrupção, infraestrutura ruim, porem, se ao invés de ter gasto dinheiro com construção de estádios e investisse em educação e infraestrutura não teria tanto calos assim | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.