• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mensalão » Prisão em Canhotinho poderá ser o destino final de Pedro Corrêa

Tércio Amaral

Publicação: 07/01/2014 11:33 Atualização: 08/01/2014 10:02

O destino do único pernambucano envolvido e condenado no escândalo do mensalão será divulgado numa coletiva de imprensa nesta terça-feira (7), às 16h, no Fórum do Recife, no bairro de Joana Bezerra. O ex-deputado Pedro Corrêa (PP) aguarda a decisão do juiz da 1º Vara de Execuções Penais, Luiz Gomes da Rocha Neto, sobre qual unidade do sistema prisional deve cumprir sua pena. O progressista foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), na Ação 470, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e deve cumprir pena, em regime semiaberto, de 7 anos e dois meses de prisão.

“Desde que Pedro Corrêa chegou aqui, eu não tenho mais sossego. Todos os dias, diversos jornais ligam para mim. Eu prefiro que a decisão da Justiça seja divulgada para todos, no mesmo momento. Sempre disse que ele é um preso como outro qualquer”, disse Luiz Gomes ao Diario, por telefone. O juiz não quis adiantar a unidade, mas Pedro Corrêa pode cumprir a pena no Centro de Ressocialização de Canhotinho, no Agreste do Estado. Pelo menos essa foi a estratégia da defesa do progressista.

Nas proximidades da unidade prisional, o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Édson Vieira (PSDB), ofereceu um emprego a Pedro Corrêa, com salário de R$ 5 mil, para um posto do Programa de Saúde da Família (PSF). Além disso, o progressista tem como domicílio eleitoral a cidade de Brejo da Madre de Deus, onde sua família tem uma fazenda. O ex-deputado também pode cumprir a pena em regime semiaberto em unidades prisionais na Região Metropolitana (Itamaracá) e no Sertão (Petrolina e Salgueiro).

Prisão decretada

Pedro Corrêa se apresentou à Polícia Federal, em Brasília, para cumprimento da pena no início do mês de dezembro do ano passado, depois de ter a prisão imediata determinada STF. Inicialmente, por ordem do presidente do STF, Joaquim Barbosa, a pena foi cumprida em Brasília, no presídio da Papuda, mas a defesa do progressista solicitou sua transferência para o Recife. O ex-deputado está no Centro de Observação e Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), no Recife.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.