Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pronunciamento » Cada aparição de Dilma em rede nacional custa R$ 90 mil Presidente fez este ano sete pronunciamentos, a maioria para divulgar programas e projetos do governo

Grasielle Castro

Publicação: 30/12/2013 09:57 Atualização:

A estratégia da presidente Dilma Rousseff de aparecer cada vez mais em pronunciamentos em rede nacional de rádio e televisão custou até agora R$ 1,2 milhão aos cofres públicos desde o primeiro ano de seu mandato, em 2011. Cada vez que a presidente vai à TV, o Palácio do Planalto desembolsa R$ 90 mil com produção, gravação, edição, computação gráfica, trilha sonora, locução, mão de obra e equipamentos.

Ontem Dilma fez seu sétimo pronunciamento, o 17º desde que tomou posse, e destacou os programas sociais carros-chefes do governo e atacou alguns setores por criticarem o fraco desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) e o surto inflacionário ao longo de 2013. “Nos últimos anos somos um dos raros países do mundo em que o nível de vida da população não recuou ou se espatifou em meio a alguma grave crise”, comentou.

Com a fala de ontem, a presidente superou a média de cinco aparições anuais. Seus antecesores, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso registraram uma média inferior a três pronunciamentos de TV ao ano. Nas aparições de 2013, além da que foi ao ar ontem, Dilma divulgou medidas de impacto de seu governo, como a redução da tarifa de energia (23 de janeiro), a desoneração da cesta básica (8 de março) e a promessa de destinar dinheiro do pré-sal para a educação (1º de maio). Foi à TV também para dar uma resposta às manifestações (21 de junho), para exaltar a criação do programa Mais Médicos (6 de setembro) e para comemorar a conclusão do primeiro leilão do pré-sal (21 de outubro).

O pronunciamento de 21 de junho, em meio às manifestações, foi o mais atípico. A aparição foi realizada às pressas e não contou com a superprodução de R$ 90 mil. Naquela oportunidade, quem produziu tudo foi a EBC/NBR, estatal de comunicação, “pois não havia tempo hábil para a mobilização de uma das agências contratadas”, segundo a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Em condições normais, é a secretaria que fica responsável por contratar uma agência para a produção dos pronunciamentos da presidente.

Em dezembro de 2012, o valor gasto pelo governo federal para produzir um pronunciamento foi de R$ 58 mil, 56% a menos que os atuais R$ 90 mil. A Secretaria de Comunicação diz que houve uma “atualização de valores”, “uma vez que os preços até então praticados remontavam ao ano de 2008”. A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2008 a 2012 foi de 32%.

O líder do Democratas no Senado, senador José Agripino (RN), considerou a fala da presidente lamentável. “O país está ficando incompetitivo por conta dos ajustes fiscais, da carga tributária, do câmbio, da inflação e da burocracia”, afirmou. Segundo ele, enquanto os países do Brics estão evoluindo, saindo da crise, o Brasil está cada vez mais imerso. “E a presidente persiste em falar, em termos ufanísticos, de coisas do passado como se fosse presente. Isso é preocupante”, pontuou.

A crítica ao governo Dilma também veio do governador de Pernambuco e provável candidato à Presidência, Eduardo Campos (PSB). Na sua página no Facebook, o governador reclamou do despreparo do Executivo para lidar com os desastres causados pelas fortes chuvas na Região Sudeste, principalmente Espírito Santo e Minas Gerais. “Infelizmente, em Brasília ainda é regra esperar o pior acontecer para tomar alguma medida.”

Com agências

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »