Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Natal » Carta de natal da presidente Dilma Roussef pode parar na justiça O PSDB acusa a presidente de autopromoção e abuso de poder ao enviar cartas a funcionários públicos. Segundo a liderança do partido, Dilma afronta às leis e à Constituição numa ação ilegal que visa angariar votos para sua candidatura em 2014.

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 26/12/2013 20:42 Atualização: 26/12/2013 21:48

Uso indevido da máquina pública.  Abuso de poder. Uso da verba pública. Afronta às leis e a Constituição. Esses foram os argumentos utilizados pelo líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), para acionar à Justiça Eleitoral e a Procuradoria-Geral da República a investigar um suposto abuso de poder da presidente Dilma Roussef com o envio de cartas de natal a funcionários públicos.

Segundo Sampaio, uma reportagem publicada pelo jornal “O Globo”, na última segunda-feira (23), revelou que Dilma havia enviado cartas de natal a servidores públicos federais.  “Esse tipo de ação já caracteriza, por si só, abuso de poder. Nenhum outro candidato teria acesso aos endereços de todos os funcionários públicos federais para poder enviar correspondências natalinas similares – competindo assim, ainda que também de forma ilegal e extemporânea, em igualdade de condições por sua promoção pessoal”, afirmou Sampaio.

Conforme o líder, a presidente ainda afronta às leis e à Constituição, pois o ato dela configura, segundo Sampaio, como uma promoção pessoal que objetiva angariar votos para a candidatura dela em 2014. Ele também aponta que o envio de cartas pode ter sido feito às custas do dinheiro público.

Nesta sexta-feira (27), o PSDB deve protocolar a representação ao Procurador Geral da República para que investigue a prática de crime contra a administração pública e de ato de improbidade administrativa.  Também será enviado pedido de informações à Secretaria Geral da Presidência da República para que apresente cópia da carta enviada aos servidores e informe quem pagou as despesas com a confecção e o envio da carta.

Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »