Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mensalão » Ao chegar ao estado, Pedro Corrêa poderá ser encaminhado ao Cotel

Andrea Pinheiro - Diario de Pernambuco

Publicação: 23/12/2013 12:07 Atualização: 23/12/2013 17:49

A transferência do ex-deputado Pedro Corrêa, condenado a cumprir pena de sete anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do mensalão, do Complexo da Papuda para o estado pode ocorrer nos próximos dias. O juiz da 1ª Vara de Execuções Penais do estado, Luiz Gomes da Rocha Neto, ainda aguarda o envio do processo para tomar conhecimento dos detalhes do documento. Na última sexta-feira (20), ele recebeu a delegação de competência do Supremo Tribunal Federal (STF), que o torna responsável pela execução da pena do ex-deputado no estado.  

Em entrevista ao Diario, o juiz Luiz Gomes da Rocha Neto ressaltou que a transferência será feita dentro da normalidade para uma das unidades prisionais pernambucanas. Segundo ele, o estado tem quatro unidades com capacidade para atender o regime semiaberto, localizadas nos municípios de Itamaracá, Canhotinho, Salgueiro e Petrolina. "A rigor, quem vai gerenciar a pena é o juiz da região para qual o condenado será encaminhado", informou. O juiz explica que, na precatória, pode vir determinada qual penitenciária deverá receber Pedro Corrêa. Nesse caso, ele enviará o processo para a vara competente. O estado tem quatro varas regionalizadas.

De acordo com Luiz Gomes da Rocha Neto, ao chegar ao estado, Pedro Corrêa poderá ser encaminhado para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), onde permanecerá enquanto seu processo é analisado. A defesa do ex-deputado solicitou que ele cumpra pena na delegacia pública do município de Jataúba, no Agreste do estado, próximo a Brejo da Madre de Deus, onde a mulher de Corrêa tem uma pousada, e também a Santa Cruz do Capibaribe. Nesta cidade, o ex-parlamentar poderia trabalhar, pois o prefeito Edson Vieira ofereceu uma vaga de médico para ele.

Sobre o cumprimento da pena em Jataúba, o juiz da 1ª Vara de Execuções Penais disse que não há definição. "Pretensão não é compromisso técnico. O reeducando pode ter pretensões, mas o compromisso técnico quem tem é o magistrado", afirmou Luiz Gomes da Rocha Neto. Segundo informações, o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, em ofício, só determinou a transferência de Pedro Corrêa, mas não determinou o local onde o ex-deputado cumpriria a pena.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »