Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Contradições » Waldemar Borges diz que Armando Monteiro ainda está procurando "um discurso"

Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicação: 10/12/2013 20:43 Atualização:

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Waldemar Borges, fez duras críticas ao senador Armando Monteiro Neto um dia depois de o parlamentar frisar que o governador Eduardo Campos terá dificuldade de passar o discurso de ser o novo para o Brasil. Waldemar Borges ponderou bastante as palavras antes de falar com a imprensa. Deu pausas longas nas declarações e fitou o chão para arrematar. “Isso é um discurso de quem está procurado discurso”, afirmou. Veja os principais trechos da entrevista coletiva dada pelo socialista, que vem sendo escalado desde outubro para rebater as críticas do PTB à postura do PSB.
 
Como o senhor viu as declarações de Armando, ao dizer que Eduardo Campos não representa a nova política?
A própria largueza como Eduardo compôs o governo dele, como compôs a chapa majoritária da eleição passada… essa própria largueza revela já uma forma diferenciada de ver e de fazer a política. Os fatos respondem a esse tipo de afirmação com mais eloquência. Todo dia, tem milhares de pernambucanos que têm suas vidas tocadas. O que tem acontecido no dia a dia dos Pernambuco também responde com mais força a qualquer discurso pre-eleitoral que possa ser feito agora.

Mas essa mudança no discurso de Armando não se assemelha à mudança do discurso de Eduardo, que também era da base de Dilma?
Não é a mesma coisa o discurso de Armando e de Eduardo. Eduardo não foi de uma hora para outra…As preocupações que Eduardo vem colocando faz muito tempo, não são de agora, de dois meses atrás, foi praticamente desde o começo do Governo Dilma e isso não leva Eduardo de querer negar todos os avanços que ocorreram. São diferentes o tempo e a graduação.

O senador Armando Monteiro está numa aliança com Eduardo há sete anos (...) Ele diz que ele é praticamente tradicional.
Isso é um discurso de quem está procurando um discurso. O fato de Eduardo fazer um governo incorporando setores mais tradicionais, sem que isso interferisse, sem perder o rumo de um governo comprometido com a maioria, gerando resultados para a maioria, isso foi uma maneira diferente (de fazer política). Ele quebrou o maniqueísmo tão presente na política pernambucana por muitos anos.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »