Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Manifestação » Em protesto, prefeitos invadem salão verde do Congresso Nacional Políticos exigem obter uma reunião com o presidente da Câmara dos Deputados e querem que o Congresso vote projetos que reduzam o impacto financeiro dos municípios

Correio Braziliense

Publicação: 10/12/2013 14:19 Atualização:

Confusão no Congresso Nacional: seguranças demoraram 30 minutos para convencer prefeitos a esperarem Henrique Alves no auditório da Câmara. Foto:Iano Andrade/CB/D.A Press  (Iano Andrade/CB/D.A Press)
Confusão no Congresso Nacional: seguranças demoraram 30 minutos para convencer prefeitos a esperarem Henrique Alves no auditório da Câmara. Foto:Iano Andrade/CB/D.A Press
Cerca de 200 prefeitos invadiram o salão verde do Congresso Nacional, na manhã desta terça-feira (10/12), para exigir uma audiência com o presidente da Casa Henrique Eduardo Alves. Os manifestantes querem que o Congresso vote projetos que reduzam o impacto financeiro dos municípios, que tem causado, segundo eles, uma "crise federativa".

A confusão começou quando cerca de 200, dos 400 prefeitos que estavam reunidos no auditório do Sanado, foram em direção ao salão verde do Congresso Nacional. Eles pressionaram a entrada do corredor onde fica a presidência da Câmara dos Deputados e só depois de 30 minutos de negociação com os seguranças da Casa, eles foram cometidos a irem para o auditório da Câmara para esperar a presença do presidente Henrique Alves.

O presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CMN), Paulo Ziulkoski, disse, revoltado, que "esgotou o período do governo enfiar 'goela baixo' os gastos e o Congresso dar direitos para o cidadão sem dizer de onde vamos tirar o dinheiro". Ziulkoski ressaltou que a Câmara está se omitindo por não votar projetos importantes para as cidades e que o problema se tornou um redemoinho ingovernável".

De acordo com o presidente da CMN, a mobilização É apenas "um aviso ao Congresso", pois os prefeitos pretendem voltar ao parlamento em maior número em março do ano que vem, organizar uma mobilização popular em todo o país, em abril, e um ato concentrado em Brasília, em maio de 2014.

A audiência com o Henrique Eduardo Alves está prevista para ocorrer às 14h de hoje, contudo, ainda não se sabe se o presidente da Casa estará disponível até lá. Mais cedo, Henrique estava reunido com a bancada ruralista, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o advogado-geral Luís Inácio Adams, para tratar sobre as terras indígenas. Logo em seguida, Henrique se encontrará com a ministra da Cultura, Marta Suplici, para tratar de um projeto que aumenta a verba para o setor. Além disso, às 14h - horário previsto o encontro com os prefeitos - está marcada a sessão do Congresso para tratar da análise dos vetos presidenciais.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »