Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Esclarecimentos » Cardozo tem 10 dias para se explicar sobre investigação de cartel em SP Oposição acusa petista de fazer uso político da situação

Correio Braziliense

Publicação: 10/12/2013 07:39 Atualização: 10/12/2013 10:39

Américo Lacombe diz que qualquer decisão sairá somente em 2014. Foto: José Varella/CB/D.A Press/Arquivo
Américo Lacombe diz que qualquer decisão sairá somente em 2014. Foto: José Varella/CB/D.A Press/Arquivo

A Comissão de Ética da Presidência da República convocou ontem o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a prestar esclarecimentos sobre a investigação de cartel em licitações do transporte público em São Paulo e no Distrito Federal. O procedimento foi adotado diante das acusações de líderes do PSDB de que o petista está fazendo uso político do chamado caso Siemens, em que empresas estrangeiras teriam o aval de governos estaduais para combinar quem perderia concorrências públicas, e assim forçariam o superfaturamento dos preços.

O ministro tem prazo de 10 dias para apresentar justificativas ao colegiado. Depois de analisar as considerações de Cardozo, a Comissão de Ética pode abrir um processo de investigação. A comissão analisará o requerimento tucano que pede a exoneração de Cardozo do cargo. Segundo o presidente do colegiado, Américo Lacombe, qualquer decisão só será tomada no ano que vem, na próxima reunião da comissão, prevista para 29 de janeiro.

A queixa do PSDB se deve ao fato de o ministro ter recebido em mão do deputado estadual licenciado Simão Pedro (PT), atual secretário de serviços da prefeitura de São Paulo, documentos supostamente escritos pelo ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer. As denúncias acusavam políticos tucanos de participarem do esquema de cartel no metrô de São Paulo. De acordo com Cardozo, ele teria “cumprido o seu dever” e repassado o material para a Polícia Federal (PF). A informação de que Cardozo encaminhou o relatório contradiz memorando da PF, que afirma que as denúncias chegaram via Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »