Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Legislação » Familiares das vítimas da Boate Kiss pedem lei nacional de prevenção a incêndios

Agência Senado

Publicação: 02/12/2013 20:59 Atualização:

Em audiência pública nesta segunda-feira (2), a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado foi sugerida a criação de lei nacional sobre prevenção e combate a incêndios e uma diligência da comissão para avaliar a atuação dos poderes públicos em Santa Maria (RS) depois da tragédia na Boate Kiss.

Para o vice-presidente da Associação dos Familiares das Vítimas e Sobreviventes da Tragédia na Boate Kiss, Valter Souza Capistani,  ilegalidade, irresponsabilidade e conivência de autoridades e empresários na concessão de licenças de funcionamento e em ações de fiscalização resultaram na tragédia. Ele acredita que a imprensa também age para abafar o caso.

"Agentes e gestores públicos de todas as esferas públicas, sem nenhuma ética, tentam se livrar das responsabilidades usando as influências e a própria mídia. Alguns políticos, alguns empresários estão pedindo para a mídia dar uma abrandada, para a mídia esquecer", disse ele.

O presidente da associação, Adherbal Ferreira, defendeu uma atuação preventiva para evitar outras tragédias semelhantes. Ele frisou que as aglomerações de pessoas sem o cuidados necessários podem acabar novamente em um desastre e acrescentou que continuam acontecendo irregularidades.

"O desleixo a desatenção, o jeitinho, continuam", lamentou.

A especialista em toxicologia e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Solange Garcia relatou aos parlamentares que depois do incêndio na Boate Kiss outra tragédia começou: o atendimento médico-hospitalar às vítimas. Ela disse que o Brasil não tem um sistema eficiente para atender intoxicados por agentes químicos e sugeriu a criação de uma central de antídotos. A médica informou que a hidroxi-cobalamina, o antídoto ao cianeto que intoxicou os jovens em Santa Maria, não existia no Brasil e foi preciso importá-la.

"Eu me colocava na situação dos pais que imaginavam que seus filhos estavam no hospital sendo adequadamente tratados quando, na verdade, o antídoto especifico para aquela intoxicação sequer existia no Brasil", disse a especialista.

O representante do Ministério da Saúde, Paulo de Tarso Abrahão, informou que a política de antídotos já existe, e é preciso apenas atualizar a lista de medicamentos.

O senador Paulo Paim (PT-RS) se comprometeu a encaminhar as sugestões dos participantes da audiência. Ele disse que iria às ultimas consequências na busca da justiça e na elaboração de leis que possam contribui para que um evento como aquele não se repita.

O incêndio na Boate Kiss aconteceu no final de janeiro, causado por sinalizador usado pela banda que se apresentava. Morreram 242 pessoas e 116 ficaram feridas.

Com informações da Rádio Senado

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »