Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Encontro » Em um duro discurso, José Patriota cobra recursos para custeio da máquina municipal

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 02/12/2013 12:41 Atualização:

Apesar de ser anfitrião do evento, o governo federal foi alvo de críticas no encontro que reúne os prefeitos pernambucanos em Gravatá, no Agreste do estado. Depois de reconhecer os avanços dos programas sociais no país, o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota (PSB), questionou a queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e falou sobre os problemas previdenciários enfrentados pelas cidades.

Bastante aplaudido, Patriota afirmou que os recursos para o custeio das máquinas municipais são insuficientes. "A desonareção fiscal bateu forte na gente, é muito pouco comparado aos custos e insumos que o prefeito precisa todo dia para a máquina funcionar. Pernambuco perdeu mais de R$ 500 milhões nos últimos dois anos. Os recursos para o investimento vêm de bom grado, mas os recursos para custeio são insuficientes. Entendemos que temos que dar contrapartida, mas não dá para ficar com o valor do custeio aumentando, o povo na porta da prefeitura, é fundamental a gente enfrentar o subfinanciamento", discursou.

Em seguida, José Patriota falou sobre a o piso salarial para os professores. "Eu sei que perto da eleição é bonito dizer que tem que instituir o piso. Não
somos contra o piso, mas temos que ver de onde tiramos esse piso", disse.
Segundo o presidente da Amupe, das 184 prefeituras pernambucanas, 136 estão no caos, 72% dos prefeitos estão com lágrima nos olhos, passando pelos ministérios. Quando ele resolve uma pendência, aparecem duas", acrescentou.  

Por fim, José Patriota defendeu uma mudança no pacto federativo. "Não dá para a União arrecadar o bolo maior e os municípios ficarem só com os problemas, essa é uma agenda para ser colocada em pauta", declarou. Por fim, ele pediu a correção dos valores dos recursos para custeio. "Queremos um encontro de
contas com a previdêencia social, queremos os recuros dos royalties, queremos a liberação urgente dos recursos que estão em restos a pagar. Queremos
recursos para o financimanto dos aterros sanitários", encerrou.

 

Com informações da repórter Aline Moura, do Diario de Pernambuco

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »