Pernambuco.com



  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

SENADO » Para Cristovam Buarque, escravatura só será abolida com federalização da educação

Agência Senado

Publicação: 13/05/2013 20:51 Atualização:

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) defendeu, nesta segunda-feira (13), a federalização da educação básica como forma de o Brasil dar continuidade ao processo de abolição da escravidão. Para o senador, a Lei Áurea não libertou os negros de maneira completa, já que os descendentes dos antigos escravos ainda não têm acesso à educação.

"Não demos o passo da educação das crianças filhas dos ex-escravos, de seus descendentes e dos pobres de hoje.  Dez milhões de brasileiros são escravos do analfabetismo e uma pessoa que não sabe ler, no mundo moderno, é escrava da sua incapacidade de saber os signos e o que eles indicam", disse.

O senador assinalou que a educação é responsabilidade da União e, por isso, deve ser federalizada. A proposta sugerida por Cristovam consiste na criação de uma carreira nacional do magistério com salário pago pelo governo federal.

"Não há mais a possibilidade de uma lei áurea da educação. Mas a gente sabe o caminho. Para mim, este caminho é dizer que a educação é responsabilidade da nação brasileira, do povo brasileiro, da União", afirmou.

Cristovam disse, ainda, que a Lei do Ventre Livre, que estabeleceu que os filhos de escravos nascidos a partir da data de sua edição eram livres, ara uma lei incompleta. Ele explicou que o ser humano só nasce, efetivamente, quando tem uma educação de qualidade.

"Esse é um país das boas leis incompletas. Nós nos acostumamos com os passozinhos, passozinhos, passozinhos, sem fazer as verdadeiras mudanças que são necessárias", disse o senador.

Em aparte, o senador Wellington Dias (PT-PI) concordou que o Brasil tem uma dívida no que se refere à educação, mas manifestou a suas dúvidas quanto à viabilidade da federalização, levando em conta o tamanho do país.

"Eu não sei como seria essa estrutura federal para a educação. Meu estado, pequeno e com três milhões de habitantes, tem, aproximadamente, cinco mil escolas", ponderou.

O senador Pedro Taques (PDT-MT) afirmou que a escravidão no Brasil de hoje consiste não somente na falta de acesso à educação para alguns brasileiros, mas também na falta de respeito e de dignidade que sofrem cotidianamente.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »