Cuidados Recife tem planos de saúde para cães e gatos Serviço é alternativa acessível aos donos dos animais. Em Pernambuco, é possível encontrar planos de assistência médica a partir de R$ 69,90 por mês

Por: Henrique Souza - Pernambuco.com

Publicado em: 27/07/2016 15:00 Atualizado em: 27/07/2016 15:14

O casal Victor Hugo e Joyce - na foto com o cachorrinho Nescau - destaca o
O casal Victor Hugo e Joyce - na foto com o cachorrinho Nescau - destaca o

Quem possui um animal de estimação sabe que o gasto com o pet não é barato. De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o custo médio mensal para manter um cão adulto é de R$ 239,97, enquanto que os gatos adultos exigem em torno de R$ 110,05. As estimativas consideram os gastos básicos necessários, com ração, vermífugo, vacina, controle de pulgas, veterinário e banho e tosa.

Entretanto, esse valor pode ficar ainda mais alto caso o animal fique doente. Clínicas particulares cobram até R$ 130 para uma consulta com veterinário. Um exame de ultrassom custa R$ 140 e uma dose da vacina antirrábica fica por R$ 60, por exemplo. Uma cirurgia de histerectomia (retirada do útero, ovários e tubas uterinas) com anestesia inalatória chega a custar R$ 2,5 mil.   

Devido ao alto preço cobrado nas clínicas veterinárias, os serviços de planos de saúde animal crescem cada vez mais no Brasil. Mesmo com a crise econômica, o faturamento de R$ 18 bilhões no segmento em 2015 foi 7,8% maior que o registrado no ano anterior.

Em Pernambuco, é possível encontrar planos a partir de R$ 69,90 por mês. É o caso da Clube-PET, que atende à cães e gatos e conta com cinco clínicas credenciadas no Recife. A diretora de gestão do grupo Betânia Gomes conta que a principal preocupação é oferecer um serviço de qualidade com um custo acessível. "Sabemos que os bichos necessitam de uma assistência e queremos que os donos estejam preparados quando os animais precisarem de cuidados médicos", comenta. A Clube-PET conta com cerca de 40 associados atualmente, e oferece dois tipos de planos: prata (R$ 69,90) e ouro (R$ 109,90). Os pacotes incluem serviços como consultas, exames, cirurgias e até mesmo assistência funeral.

O empresário Victor Hugo Porto e sua esposa são donos do Shih-Tzu Nescau, de 1 ano e quatro meses, e há cerca de quatro meses são associados à Clube-PET. Ele é só elogios ao serviço. "A experiência está sendo uma das melhores possíveis. Fiz uma pesquisa antes de escolher o plano e algo que me agradou muito foi o fato de não precisar esperar um tempo de carência para ser atendido. O preço também é bastante acessível e os profissionais são muito atenciosos”, aprova.

De olho neste público, o plano de saúde Pet Mais Vida, com sede em Campinas, está abrindo a primeira franquia de assistência médica para cães e gatos no país. Animado com o potencial do mercado, o empresário Sivonei Marcos de Oliveira, dono do plano, decidiu investir R$ 450 mil para formatar a franquia e expandir os negócios. Com o investimento inicial de R$ 35 mil e faturamento médio mensal estimado de R$ 15 mil, o franqueado poderá ter o retorno do dinheiro aplicado entre 12 e 18 meses. Para entrar no negócio não precisa ter afinidade com os animais, mas é preciso ter facilidade de se relacionar com o público e saber vender. A aquisição da franquia inclui o treinamento e o material de divulgação do produto na praça.

"Contratamos uma empresa de franchising para fazer uma pesquisa de mercado e comercializar o produto. A partir deste mês vamos oferecer o plano de saúde em todas as regiões", diz Sivonei de Oliveira. Segundo o empresário, o produto pode ser adquirido pelo valor mínimo de R$ 29,90 (básico) e pode chegar a R$ 87 (plus). Mas como vender plano de saúde para animal quando o dono do pet está desempregado e ficando sem plano de saúde? Oliveira garante que este é mais um motivo para contratar assistência preventiva para o animal de estimação. Ele compara os custos dos serviços e aponta a vantagem de ter um plano de saúde.

O custo anual de R$ 1.044 de um plano Pet Mais Vida Plus, que inclui 11 consultas ao ano, vacinas, internação, emergência com os medicamentos inclusos é mais em conta do que pagar pelos serviços numa clínica particular. "É mais vantajoso financeiramente ter o plano de saúde, sem contar que o animal que faz a prevenção terá uma vida mais saudável e longa. Além disso, quando criamos a franquia pensamos nas pessoas que ficam desempregadas e sem oportunidades para voltar ao mercado de trabalho."

Mercado cresce na contramão da crise
A empresa US Franshising responsável pela formatação e comercialização da franquia Pet Mais Vida aposta em dois braços para o sucesso da nova franquia: o crescimento do mercado pet na contramão da crise e a facilidade de estruturar o negócio sem ter um ponto comercial. “O franqueado pode trabalhar em sua casa, não terá o custo de aluguel e outras despesas operacionais, basta ter uma linha telefônica disponível”. Segundo a empresa, o franqueado receberá 100% da adesão inicial e 10% de comissão pela carteira gerada.

Sivonei Marcos de Oliveira conta que a ideia de montar um plano de saúde para animais surgiu durante uma visita aos Estados Unidos, em 2011. "Lá é comum as empresas contratarem plano de saúde para o empregado e para o animal de estimação". O investimento de R$ 3 milhões para estruturar o Pet Mais Vida foi exitoso. Começou em Campinas, mas já se estendeu para São Paulo e Paulínia.

Para funcionar, um plano de saúde pet precisa obter o registro no Conselho Regional da Medicina Veterinária (CRMV). De acordo com a presidente do CRMV de Pernambuco, Erivânia Camelo, a empresa que vai operar o plano de saúde terá que apresentar a relação dos prestadores, dos médicos e profissionais credenciados, clínicas e laboratórios, veterinário responsável, além de informar o valor das mensalidades cobradas.

Caberá também ao CRMV fiscalizar os serviços prestados. “O mercado pet está crescendo com a humanização dos animais. Vejo com bons olhos a chegada do plano de saúde, desde que ele cumpra a resolução do conselho e ofereça serviços de qualidade”, diz Erivânia.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.