Decisão China proíbe venda de alimentos derivados de animais em extinção No entanto, a nova lei permite, mediante autorização, "a compra, venda e uso" de "produtos derivados", assim como o uso dessas espécies em shows e espetáculos

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 08/07/2016 09:14 Atualizado em:

A medida, aprovada no último sábado pelo parlamento chinês, “reforça a legislação em matéria de uso de animais selvagens e seus produtos derivados”, complementando uma lei de proteção adotada em 1989 e revisada em 2004.

A nova lei, que entrará em vigor em 1 de janeiro de 2017, proíbe a produção e venda de qualquer alimento feito a partir de espécies animais em perigo de extinção. No entanto, permite, mediante autorização, “a compra, venda e uso” de “produtos derivados”, assim como o uso dessas espécies em shows e espetáculos. O texto, publicado na página da Assembleia Nacional Popular, não explica as diferenças entre alimentos e produtos derivados nem dá detalhes de como obter as autorizações mencionadas.

Para ativistas de grupos de defesa dos direitos animais, a nova legislação pode ser utilizada como cobertura legal para a caça furtiva. Mas, de acordo com autoridades citadas pela Xinhua, a medida irá proteger as populações animais em seus habitats, já que “o uso de animais selvagens e produtos derivados dependerá principalmente de animais criados em cativeiro”.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.