Nada a comemorar: 4,4 mil toneladas de lixo a céu aberto

Joel da Harpa
Deputado estadual

Publicação: 13/06/2018 03:00

No mês do Meio Ambiente, Pernambuco tem pouco a comemorar e muito a evoluir. Mais de 4 mil toneladas de lixo são depositadas a céu aberto no estado, por ano. Pelo menos 114 municípios (62%) do total, ainda não adequaram a legislação que trata da destinação correta dos resíduos sólidos e determina a  destinação a aterros sanitários. Locais onde o chorume e os gases são impedidos de contaminar o meio ambiente. O alerta é com base em levantamento realizado em  2017, pelo Tribunal de Contas.

A Lei nº 12.305/10 institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao país no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos. Prevê a prevenção e a redução na geração de resíduos.

A proposta é a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado).

Na tarde do dia 5,  fui à tribuna da Assembleia Legislativa para tratar sobre o tema.  Aproveitei a oportunidade para destacar a importância do trabalho voluntário, na tentativa de minimizar os danos causados pela poluição. Destaco, por exemplo, o trabalho realizado pelo ambientalista Fabiano Jadson do Nascimento, mais conhecido como Fabiano Natureza.

Em minhas andanças pelo município de Jaboatão dos Guararapes, tive a oportunidade de conhecer de perto o projeto Natureza e Vida, o qual realiza uma série de atividades voltadas para a proteção e melhoramento do meio ambiente. Ele realiza eventos como a “caminhada do verde”, passeios ciclísticos, campanha para não jogar lixo na rua, palestras nas escolas, campanhas como Natal Solidário, Faça uma Criança Feliz e o Movimento da Boa Idade.

Graças a iniciativas como a de Fabiano, mais de 2 mil árvores já floram plantadas. É fundamental que cada um faça a sua parte e que a sociedade exija o cumprimento das leis ambientais. Todos devemos assumir uma postura de responsabilidade ambiental pois só assim conseguiremos mudar o quadro atual.

Existe um trecho na Declaração de Estocolmo que diz: a proteção e o melhoramento do meio ambiente humano é uma questão fundamental que afeta o bem-estar dos povos e o desenvolvimento econômico do mundo inteiro, um desejo urgente de povos e todo o mundo e o dever de todos os guerreiros.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.