Grande passo contra o racismo

Malude Maciel
Presidente da ACACCIL

Publicação: 30/05/2018 03:00

Um conto de fadas ao vivo e a cores.

Vi a transmissão da cerimônia do casamento real como toda mulher romântica, antenada e curiosa em observar detalhes e novidades. No mundo todo houve um frenesi dando o máximo de audiência televisiva ao enlace do Prince Henry of Gales with Ms Meghan Markle na Inglaterra.

Meus olhos e minha alma deslumbraram não somente um grande e belo evento da realeza britânica, mundialmente reverenciado, mas também quebra de tabus e protocolos que modificaram costumes e deram margem à nova era nos relacionamentos humanos. Foi, sem dúvida, um marco oficial contra o preconceito de cor e de status, uma porta aberta para a aceitação de pessoas como indivíduos igualitários, pelos seus valores, acima de barreiras raciais e sociais. Verdadeiro espetáculo.

A firme ousadia dos noivos deu espaço ao acontecimento inédito que modificou a rígida estrutura britânica que anteriormente não permitia a realização de matrimônio, na Capela de Windsor, entre herdeiro da monarquia com noiva divorciada, atriz, tenista, americana da Califórnia e afrodescendente como foi o caso. Jamais as paredes daquele templo haviam escutado as maviosas vozes de um coral formado por negros, a eloquente homilia do Reverendo Michael Curray, americano e também negro, e o compasso triunfal da entrada solene e perfeita de Meghan, homologando as mudanças significativas nas normas sociais do Reino Unido, que nunca mais será o mesmo.

Daqui pra frente ninguém poderá pôr obstáculos a uniões matrimoniais bicolores. O fato serviu de exemplo extraordinário, pois a Rainha Elizabeth II querendo ou não, aceitou a revolução dos costumes, cedendo aos caprichos do amado neto, filho de Diana; e aquele ato foi extremamente significante, declarando liberdade de escolha, e assim, novos tempos, belos dias...

No Brasil, quando a arraigada discriminação racial botar as unhas de fora, haverá quem diga: Isto acontece até na família real.

Outra ocorrência que calou a boca dos que fazem beicinho e nariz arrebitado, querendo se melhores que os outros, foi a vitória e cumprimento de mandato do presidente Barack Obama na América; juntamente com a primeira-dama Michelle, ambos negros, fizeram magnífico trabalho nos Estados Unidos, ecoando em todo o planeta.

Agora, essa grande abertura, acaba de vez com o pensamento medíocre dos racistas. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.