'Nós nos extraviamos a tal ponto, que devemos estar no bom caminho...'

Jaime Xavier
Mestre em Administração de Negócios pela COPPE %u2013 RJ. Sócio-Diretor da XConsult %u2013 Consultoria Empresarial. Sócio-Diretor Comercial da Sabor Saudável Produtos Alimentícios.

Publicação: 27/04/2018 03:00

Inicio estas linhas, pedindo desde já “todas as vênias”, ao nosso jurista e acadêmico José Paulo Cavalcanti, especialista em assuntos que dizem respeito a Fernando Pessoa, e ao economista e escritor Eduardo Gianetti da Fonseca, para utilizar a frase do maior nome da literatura da língua portuguesa, como título deste meu novo artigo.

Sou um otimista por natureza e, ao deparar-me com estes dizeres, comecei a olhar as agruras que já há algum tempo vive o nosso país, com a esperança de um dia, mesmo que não me seja dado o prazer de vivê-lo, possamos ser conduzidos a um novo rumo.

É impossível, pelo menos a meu ver, não acreditar que o oceano de lama em que nos metemos por conta do patrimonialismo, da corrupção, da total falta de vergonha e da arrogância da maioria dos nossos políticos, não provoque em algum momento, uma reação da sociedade, que expurgue tais figuras do comando do país.

Não posso abandonar a crença de que, em algum momento, indicações políticas e interesses escusos, aparelhamentos da máquina pública, manipulação de cargos, dos órgãos públicos, de empresas estatais e até mesmo, da própria Justiça, transformando-a em servidora submissa de interesses particulares, em detrimento dos anseios da sociedade, não venham a ser extirpadas do nosso ambiente social, como se extrai um câncer de um organismo à beira da morte, na esperança de levá-lo à recuperação.

Não consigo deixar de ter esperança que, há que chegar o momento em que se verifique a reviravolta que repudie sem tolerância, as “tenebrosas transações” que criam o ambiente ideal para práticas não republicanas e para os desvios de recursos preciosos, que deveriam estar destinados a investimentos que beneficiem a população, proporcionando a todos acesso a saúde, educação, transporte e moradia digna, e mais que tudo isso, a dignidade de um emprego.

Não podemos mais tolerar os donos do poder, caciques de partidos, defensores do atraso, manipuladores de massas, vendilhões da honra (que parecem não ter), beneficiários de privilégios e defensores da impunidade.

Por tudo isso, acredito que mais dia, menos dia, daremos a virada...

Voltaremos novamente às ruas para dar um basta em toda essa vergonhosa armadilha em que fomos colocados, em grande parte por nossa própria falta de participação e de cuidado, na hora de escolhermos os que, em má hora, elegemos como nossos representantes.

A frase de Pessoa fica ainda mais significativa e adequada ao momento que vive o nosso país, quando situada no contexto em que foi escrita: “Chegamos ao ponto em que coletivamente estamos fartos de tudo e individualmente fartos de estar fartos. Extraviámo-nos a tal ponto que devemos estar no bom caminho. Os sinais do nosso ressurgimento próximo estão patentes para os que não vêem o visível.”

A questão agora é conseguir que a cada dia mais, o brasileiro retome a esperança perdida e invista e contribua para que este sonho, se transforme em realidade.

É tempo pois, de nos afastarmos do passado e lutarmos todos, pelo futuro que desejamos e que, certamente, merecemos...

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.