EDITORIAL » O CIn e a busca por excelência

Publicação: 14/04/2018 03:00

O noticiário do dia a dia costuma trazer muitas informações que retratam as mazelas, os dramas e as imperfeições da vida em nossa aldeia e no planeta. Mas um veículo de imprensa que faça apenas o inventário dos defeitos do mundo em que vivemos não nos permitirá compreendê-lo em sua inteireza.  Para isso, é indispensável o inventário também das virtudes. Nesta edição do Diario, por exemplo, trazemos uma história que merece ser conhecida: a do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (CIn/UFPE), que completa 44 anos agora em 2018 ostentando uma série de destaques.

Possui o quinto melhor curso de computação do Brasil e é considerado um dos principais polos universitários de tecnologia da América Latina. O programa de Pós-Graduação em Ciências da Computação tem nota máxima da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior), na mais recente avaliação. E é o centro acadêmico que mais consegue captar recursos da Lei de Informática.

Vejam, então, que não estamos diante de mais um exemplo de retórica bairrista - e sim do reconhecimento de um espaço de excelência. Conforme se vê em fala de um dos professores entrevistados na matéria, Cristiano Araújo, já existem alunos de São Paulo e Estados Unidos - para ficar em apenas dois exemplos significativos - transferindo-se para a capital pernambucana com o objetivo de estudar e/ou criar aqui suas empresas. Hoje, conforme diz a reportagem, nas páginas 3.1 e 3.2, o CIn é responsável por formar estudantes que obtêm destaque independentemente de fronteira ou divisas - no mercado nacional e internacional. Tornou-se um espaço de estímulo a novos negócios em tecnologia e ao empreendedorismo.

Esse “cruzamento de fronteiras” constata-se também em outro ponto, que diz respeito diretamente ao Recife: a influência do Centro não se limitou aos limites do ambiente universitários. Seu papel foi “relevante na transformação do Recife em um ‘Vale do Silício brasileiro’” e tornou-se uma espécie de “pedra fundamental para a criação do CESAR (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife) e do Porto Digital, que fizeram a capital pernambucana ser considerada o maior polo tecnológico do Brasil”, diz a reportagem, de autoria de Anamaria Nascimento.

O sucesso do CIn é um exemplo inspirador, não importa a área em que estejamos. Mostra, entre outras coisas, que a busca pela excelência não está condenada a limites impostos por critérios geográficos.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.