Aquele abraço

Malude Maciel
Membro da ACACCIL

Publicação: 02/03/2018 03:00

Num finalzinho de tarde, já escurecendo, clima frio e chuvoso, nada melhor que um aconchegante abraço de pessoa querida, cobertas e chocolate quente. Como é gostoso!

O ato de abraçar é tão especial e abrangente que passou a merecer uma data dedicada a essa arte, sendo a data de 22 de maio consagrada ao tema: Dia do Abraço. Comemorado intensamente ao vivo e online.

Neste ano as redes sociais publicaram inúmeras mensagens interessantes que valem a pena ser compartilhadas, como por exemplo:

- O abraço é o remédio mais eficaz contra todos os tipos de dores e não apresenta contraindicação.

- Existem abraços que não são para o corpo, são para a alma.

- Os abraços deveriam ser os únicos apertos que a gente deveria passar na vida.

- O abraço é a menor distância entre amigos.

- Almeja-se um mundo no qual abraços valham mais que dinheiro porque quase tudo se compra nesse mundo, mas o conforto de um carinho sincero, não tem preço.

O verbo abraçar é tão importante que significa acolhimento: abraçamos pessoas queridas, mas também situações que aceitamos; abraçamos a existência, nossa vida, a fé, a esperança da paz eterna.

Ainda assinalando o Dia do Abraço vimos expressão poética que diz:

Não existe jeito certo

Não existe jeito errado

Basta que tenha afeto

Cuidadoso e apertado

Transmite meu pensamento

Todo amor e sentimento

Por meio dele eu passo

Nem que só dure um segundo

O melhor lugar do mundo

É dentro de um abraço.

Do ponto de vista histórico, o professor e historiador Urbano assim se manifestou:

“O abraço é anterior ao aperto de mão, como gesto social. Abraço permite o contato físico pleno e podemos sentir os batimentos cardíacos equilibrados. O abraço só foi substituído pelo aperto de mão, após gladiadores, generais, reis e outros personagens terem perdido a vida quando foram abraçados, traiçoeiramente, e esfaqueados no momento, levando-os à morte”. Foi o caso do imperador César traído pelo próprio filho, perguntou: “Até tu, Brutus”?

A duração média de um abraço entre duas pessoas é de três segundos, mas os pesquisadores descobriram algo fantástico: Quando um abraço dura mais que isso, sendo cheio de afetividade e vibração, há um efeito terapêutico sobre o corpo e a mente.

A razão é que um abraço sincero produz um hormônio chamado: “ocitocina”, também conhecido como o hormônio do amor. Esta substância tem muitos benefícios para a saúde física e mental, ajudando entre outras coisas, a relaxar, como também aflorar o sentimento de segurança que acalma os medos e ansiedades.

Este maravilhoso calmante é oferecido gratuitamente cada vez que temos uma pessoa em nossos braços, uma criança (observar um bebê recém nascido como se consola), nossos bichos de estimação, quando estamos dançando com um parceiro, quanto mais nos aproximamos de alguém ou apenas mantemos a firmeza se um ombro amigo. É realmente como um porto seguro, do qual somos todos carentes.

Também acreditamos que lágrimas são cura para males, pois a lágrima limpa a alma.

O cantor e compositor Gilberto Gil há tempo lançou música enaltecendo o abraço como saudação, com o maior sucesso todo o tempo mesmo porque caiu no agrado de quem quer ser abraçado, estimado, amado.

“Aquele abraço”, para todos!

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.