EDITORIAL » Internet: só para mensagens e vídeos?

Publicação: 22/02/2018 03:00

O número é gigantesco: o total de brasileiros que acessavam a  internet em 2016 era de aproximadamente 116 milhões. Os dados constam da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua 2016: acesso à internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal (Pnad Contínua - TIC 2016), que acaba de ser divulgada pelo IBGE. O número corresponde a 64,7% da população com 10 anos ou mais de idade.

Um detalhe interessante a notar é que a quase totalidade (94,6%) dos usuários da rede mundial de computadores, no Brasil, fizeram seu acesso via telefones celulares. O estudo constata que os brasileiros estão valendo-se da internet não necessariamente como fonte de conhecimentos, mas como uma forma de comunicação mais barata e alternativa às ligações telefônicas tradicionais. “Com WhatsApp e outro aplicativos, fica mais barato você passar uma mensagem para alguém, basta estar num guarda-chuva de Wi-Fi. A pessoa pode estar em outro Estado, em outro País. Facilita muito, isso aproxima as pessoas que estão distantes”,  afirmou o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar  Azeredo.

Vejamos os números: 94,2% acessaram aplicativos e redes sociais para passar ou receber mensagens de texto, voz ou imagens. Esta foi a finalidade mais citada, segundo a pesquisa. A segunda mais mencionada (76,4%) foi assistir a vídeos, séries, filmes e programas. Em seguida vêm conversar por chamada de voz ou vídeo (73,3%) e receber ou passar e-mail (69,3%).

Do estudo depreende-se que a expansão dos brasileiros à internet foi possível graças ao avanço da telefonia móvel - cerca de 138 milhões de brasileiros possuíam um aparelho em 2016.

O conjunto de dados acima enumerados mostra a metade do copo cheio, para usar uma expressão popular sobre a percepção que cada um tem da realidade observada. A outra metade do copo, a vazia, revela que um terço da população brasileira ainda está desconectada. É muita gente: cerca de 65,3 milhões de pessoas com 10 anos ou mais de idade. Os principais motivos para isso são falta de interesse, desconhecimento sobre como usar a rede e por considerar o serviço caro. Mais de 30% dos domicílios continuavam desconectados da internet.  O computador está presente em 57,8% das residências, mas em apenas 2,3% delas foi o único meio de acessar a rede.

Não há dúvidas sobre a melhoria em comparação a anos anteriores. Em 2004, por exemplo, quando começaram os levantamentos, só 12,2% dos lares brasileiros tinham um computador. E apenas em 2014 a parcela de brasileiros que usam a internet passou a faixa dos 50%. Mas persistem discrepâncias regionais e socioeconômicas, demonstrando que,  nesta área, ainda temos uma parte do copo cheia e outra vazia.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.