Caruaruense assumiu a presidência do Tribunal de Justiça

Giovanni Mastroianni
Advogado, administrador e jornalista

Publicação: 21/02/2018 03:00

Consulto o livro Caruaru e sua Faculdade de Direito, escrito pelo jurista Darley de Lima Ferreira, e encontro entre os concluintes do curso de ciências jurídicas e sociais da Fadica, em 1975, o nome de Adalberto de Oliveira Melo ao lado de figuras ilustres de Caruaru de minha época como o jornalista Antonio Miranda Cavalcanti, a atriz Arary Marrocos Bezerra Pascoal, o bispo diocesano Dom Augusto de Carvalho e o desportista Mauro José Florêncio de Medeiros, entre outros.

Muitos dos egressos daquela faculdade ocuparam importantes cargos públicos, merecendo destaques o ministro da Justiça Fernando Soares Lyra; governadores de Pernambuco Roberto Fontes e João Lyra Neto: os deputados federais e estaduais: Antonio Geraldo Rodrigues (Tony Gel), José Queiroz de Lima e Guilherme Uchoa, os prefeitos Anastácio Rodrigues da Silva, Demócrito de Barros Miranda, Severino Otávio Raposo Monteiro (Branquinho) e Blesman Modesto de Albuquerque; juízes, promotores e assistentes judiciários: Emanuel Santos Júnior, Cladisson Ferreira Pinto, João Gomes dos Passos, Zélia Martins Alves, Sandoval Alves de Souza, Zadir Barbosa de Oliveira, João Alfredo Beltrão Vieira de Melo, Adilson Cardoso, Roosevelt Gonçalves de Lima, José Virgínio Nogueira, Manoel de Barros Neto e José Marconi Cordeiro Ferreira; secretário de segurança e delegados de polícia Antonio Soares de Carvalho, Abel David, Severino Torres Galindo do Nascimento, Plínio Alves de Araújo Filho, Jorge Tasso de Souza, Tércio Soares de Aquino e Vicente Venâncio; procurador da Polícia Rodoviária Federal: Maurício Bezerra de Souza e da Polícia Federal Bernardo de Oliveira Gomes, entre os graduados de suas primeiras turmas.

Agora, para gáudio, não só dos que integram a Asces-Unita, entidade mantenedora da primeira Faculdade de Direito do interior nordestino, como dos filhos de Caruaru, a relevante notícia de que o desembargador Adalberto de Oliveira Melo é o primeiro caruaruense a ser empossado na presidência do Tribunal e Justiça do Estado de Pernambuco, neste mês de fevereiro, para o biênio 2018-2019, ele que foi eleito por seus pares com 44 dos 49 votos dos desembargadores presentes à eleição. Formando em direito ( Fadica) e filosofia (Fafica), exerceu o juizado em 1980, como juiz de direito da Comarca de Pedra. Já em 1986, por promoção, foi designado juiz substituto da capital e, em 1987, de juiz auxiliar da Corregedoria Geral da Justiça. Na judicatura, desempenhou vários destacados cargos: em 1988, juiz eleitoral de Salgueiro, em 1989, membro do Colégio Recursal dos Juizados Especiais, em 1992, juiz titular do I Colégio: Recursal, em 1997, titular da 18ª Vara Cível do Recife, sendo, em 2004, promovido, por antiguidade, a desembargador. Eleito para a Corte Especial, exerceu o mandato de 2010 a 2012. Em fevereiro de 2016, o judicante tomou posse na 1ª vice-presidência do Tribunal de Justiça. Com méritos, agora, assume a presidência.

Dos planos do empossado, a concretização de um velho sonho dos caruaruenses: a elevação, mais uma vez, da Comarca de Caruaru à 3ª entrância, situação que existia desde a década de 70, mas, lamentavelmente, rebaixada. O deputado Tony Gel defende esta tese: “Com a instalação desta comarca, será feito um resgate histórico e justo a Caruaru, incentivando os magistrados que aqui residem e, dessa forma, ocasionará uma melhor prestação de serviço jurisdicional à população. Pelo mesmo pleito, unem-se Laura Gomes, José Queiroz, Leonardo Chaves, João e Raquel Lyra.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.