Academia de Letras está reformada, bela e acolhedora

Raimundo Carrero *

Publicação: 05/02/2018 03:00

Acolhedora ela sempre foi. Mas agora está de roupa nova, bela e pomposa. Um trabalho que se deve a, pelo menos, três gestões, a saber, Valdênio Porto, Fátima Quintas e Margarida Cantarelli, com destaque para Margarida Cantarelli, na segunda gestão, que começou justamente naquela segunda-feira -23. Empenhadíssima, tem trabalhado pela APL, desde o primeiro da de trabalho e, mais ainda, desde que se tornou imortal. Chegou, assim, com a imortalidade e o trabalho.

Fazia tempo que a reforma se mostrava necessária no velho casarão da Avenida Rui Barbosa e Valdênio Porto não se fez de rogado, contando sempre com a colaboração imprescindível de Rostand Paraíso, incansável na luta pela dignidade da Academia, em todos os sentidos. O impulso continuaria, sem dúvida, na gestão de Fátma Quintas, a nossa sensível cronista.

Nesse momento, era necessário encontrar um patrocinador. Muitas consultas foram feitas, até que se chegou ao BNDES – Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social – que abriu as portas e os cofres às necessidades expostas e inadiáveis da Academia Pernambucana de Letras, instituição reconhecidamente séria e pobre, sem contribuições de outros órgão nacionais.

Feitas as negociações, as primeiras verbas foram aplicadas na recuperação dos jardins e pintura da casa, depois de exaustivas reuniões entre dirigente das duas instituições, com a apresentação de documentos exigidos. Ainda na gestão de Fatima Quintas. Assim, a liberação das verbas só aconteceu depois de muito trabalho.

A intervenção da escritora e desembargadora Margarida Cantarelli, em seguida, foi decisiva. O empenho foi grande, muito grande, sem cansaço. A desembargadora demonstra, em sua trajetória de acadêmica, competência e empenho. Fazia tempo, como se disse, que a Academia precisava e, mais do que precisava, exigia uma reforma tota e um tratamento, por assim dizer, carinhoso. Graças ao seu trabalho agora estamos em festa. E as portas abertas para todos. Mesmo assim , não se esqueça do nome de Rostand Paraíso.

A escritora Margarida Cantarelli dá início agora ao segundo período na presidência, que é a garantia de novas conquistas acadêmcas, com a participação também de Luzilá Gonçalves Ferreira, a vice-presidente segura e firme. Além da alta literatura que produz.

* Escritor e jornalista

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.