Salário mínimo do Brasil, vergonha no cenário mundial

Dóris Maria Lima dos Santos
Advogada e escritora

Publicação: 31/01/2018 03:00

O governo brinda o ano novo junto à classe assalariada com um imoral e vergonhoso salário mínimo de R, como se um ínfimo percentual de 1,81%, correspondente a R significasse alguma benesse para o orçamento da classe trabalhadora. Reconheço que o valor ridículo ofertado pelo Congresso Nacional, o menor nos últimos 24 anos não chega a ser uma novidade haja vista que os governos anteriores também não fizeram nada ou quase nada pela classe assalariada. Mas, se o Sr. Temer quer entrar para a história como o presidente das reformas, devia aproveitar o momento e reformular a maneira desrespeitosa e a falta de consideração como o povo é tratado, tomando uma atitude altruísta e sem demagogia, dando aqueles que percebem o salário mínimo um pouco mais de dignidade necessária a uma vida saudável, sem tantos altos e baixos, até porque até agora todas as reformas que ele efetuou apenas vieram a beneficiar a classe empresarial e aqueles que estão no topo da pirâmide social.

A hora de deixar sua marca como bom governante que considera ser, seria essa. Deixar uma marca positiva como legado para o povo. Mas não; cada vez mais o presidente se afunda num lodaçal de maldade e falta de consideração à população assalariada, tanto da ativa quanto aposentada que são agraciados com migalhas, percebendo um salário que apenas para uma criatura é insuficiente, imagine para uma família que delas dependem para sobreviver, porque para viver é simplesmente inviável.

Quando o ex-presidente Getúlio Vargas instituiu o salário mínimo esse era suficiente para proporcionar o básico para o trabalhador e sua família, consta da Constituição, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social. Porém, o que hoje testemunhamos é que ao longo dos anos, o salário mínimo veio a perder essa sua finalidade. Citemos o caso do aposentado, cuja idade requer remédios, os quais são muito caros e a maioria não é coberta pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e quando o são, muitas vezes faltam nos postos de atendimento. As dificuldades se tornam ainda maiores porque não tem acesso a plano de saúde. É triste, mas é a pura realidade. Quanto mais idoso, maior a demanda por medicamentos imprescindíveis dependendo de cada situação, de cada enfermidade.

Consoante o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o valor do salário mínimo suficiente para cobrir as despesas de uma família de quatro pessoas, seria de R.731,39. Conforme estudo em  novembro/2017. Segundo fontes entre os 48 países que têm os menores salários mínimos do mundo, o Brasil ocupa a honrosa 32ª posição. Nenhum político, que seja do meu conhecimento, até hoje trabalhou a fim de garantir um salário maior para o trabalhador brasileiro. E por que se preocuparia com esse fato? Os políticos do Brasil são bem pagos, apesar de político não ser uma profissão. O povo só serve para coloca-lo político no poder! Será que disse alguma falácia?   

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.