O Brasil merece mais, nós merecemos mais...

Jaime Xavier *
www.jaimexavier@xconsult.com.br

Publicação: 25/01/2018 03:00

Ainda bem que procuro utilizar de forma mais proveitosa meus finais de tarde de domingo...

Não fosse isso, e teria tido o desprazer de assistir à inaceitável auto-promoção do Luciano Huck no programa do Faustão. Aliás, não duvido nada, do jeito que vamos, que seja lançada a chapa Huck/Faustão para presidente e vice, e pra não ser injusto com as mulheres, Angelica ocuparia o cargo de ministra dos Transportes. Afinal, ela conhece bem como se “vai de taxi”...

O Brasil parece que não se emenda mesmo. Parece que já esquecemos as consequências da malfadada eleição do “caçador de marajás” e mais recentemente do “palhaço”, que após ficar mudo durante todo o mandato, pronunciou-se uma única vez, para a ele renunciar.

Além do resultado que vimos que dá (pra eles), termos no governo da nação “o pai dos pobres” e a “mãe do PAC”, com seus pronunciamentos que parecem saídos de um programa de humorismo. Seria risível se não fosse trágico...

Neste 2018, como se não bastasse tamanha oferta de figuras dos mais variados matizes para, caso eleitas, determinarem o rumo das nossas vidas, temos ainda esses seres totalmente estranhos se colocando “à disposição do povo”,  para em seu nome abusar da nossa tolerância e aproveitar-se da nossa ignorância.

Preciso dizer que não sou político, sociólogo, cientista ou analista político e que não tenho nenhum dos títulos que me permitam fazer uma análise técnica do assunto. Sou apenas um cidadão brasileiro, a cada dia se sentindo mais otário por pagar impostos, infeliz e preocupado com o que nos trará o futuro.

Não devemos esquecer ainda que o filme macabro que estamos assistindo, inclui um grande número de veteranos, conhecedores profundos do labirintos rentáveis do poder, habituados à desmoralização pública à qual não dão a menor importância, desde que tenham seus bolsos cheios, por obra das sua práticas e falcatruas, e para as quais repetem, sem a menor vergonha na cara, os conhecidos  mantras:  “não fui eu...”, “eu não sabia...”, e outros semelhantes. Mas estes, já conhecemos quem são, e é nosso dever execrá-los e impedirmos sua permanência como nossos representantes.

Não bastasse esse conjunto de notáveis participantes de todos os escândalos a que temos assistido nos últimos anos, sob a complacência e até mesmo certo estimulo de muitos dos nosso “intocáveis de toga” temos também exemplares exóticos como um tal Dr. Ray, que diz ter recebido uma ordem divina para salvar o Brasil. É mais um...

Será que dentre os milhões de cidadãos brasileiros, não conseguimos encontrar algumas pessoas honestas, não contamináveis pela ganancia e que possam exercer o poder pensando coletivamente, e não como forma de se locupletar a si próprios e aos seus asseclas?

2018 é uma nova oportunidade que teremos de tentar com o poder do nosso voto, nos livrarmos de todo este passado enlameado e vergonhoso. É comum escutarmos entre nossos amigos e mesmo pessoas que não conhecemos, declarações sobre não votar ou anular seus votos. Isso equivale a abandonarmos alguém indefeso à sua própria sorte...

Não façam isso, o Brasil merece que sejamos responsáveis, apenas procurem escolher melhor aqueles a quem daremos o dever de servir com decência e responsabilidade a todos nós e a nossa Pátria.

* Mestre em Administração de Negócios pela COPPE – RJ, e Socio-Diretor da XConsult – Consultoria Empresarial

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.