A quinta é dos maracatus

Fábio Sotero
Presidente da Associação dos Maracatus Nação de Pernambuco - AMANPE.

Publicação: 09/01/2018 03:00

A Amanpe - Associação dos Maracatus Nação de Pernambuco, gostaria de explicitar algumas questões relativas à mudança na data de apresentação dos maracatus de baque virado no Carnaval do Recife.

A princípio, explicitamos que as decisões sobre o Carnaval foram construídas coletivamente. Através de muita luta mobilização e união das nações, as tradições de matriz africana garantiram seu protagonismo.

Reconhecemos que a Secretaria de Cultura do Recife tem essa percepção, o que estimula um movimento de pertencimento e orgulho destas comunidades em relação à sua origem e à sua cultura ancestral.

Em 2018, decidimos em consenso com a Secretaria de Cultura do Recife realizar o encontro batizado de “Tumaraca, Encontro das Nações” na quinta-feira (08) da semana pré-carnavalesca, decisão construída em comum acordo entre as nações.  

A quinta será de celebração entre as 13 Nações, e todos os recifenses, visitantes e amantes da cultura popular, um grande encontro com nosso povo e nossas tradições.

Na sexta-feira, 09/02, o frevo, cuja origem também remete, entre outras referências, aos movimentos da capoeira, manifestação cultural representativa na cultura pernambucana e da força do povo negro e de sua ancestralidade, será homenageado.

Os ritmos irmãos, frevo e maracatu, embalarão o folião numa festa em que nenhuma manifestação cultural é mais importante que a outra. Porque o carnaval do Recife é diverso, é plural, é alegria e é União.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.