Metas para 2018

Cláudio Sá Leitão
Sócio da Sá Leitão Auditores e Consultores

Publicação: 27/12/2017 03:00

Fim de ano é tempo de muita correria. Esse é um período que ninguém tem mais tempo para nada. Nessa época, o estresse é acentuado, pois todos querem bater metas e mostrar resultados. Esse momento requer um equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, bem como ponderação no que se refere ao que foi executado e o que deixou de ser realizado. Por isso, algumas pessoas não vêm a hora do ano acabar. Outras acham que ainda dá tempo de consertar os malfeitos, além daquelas que já planejam os projetos a serem realizados no ano seguinte.

O ano de 2018 será crucial para o futuro do Brasil. As próximas eleições definirão o caminho que vamos seguir daqui para frente. O que se espera do futuro governo é uma atenção maior com a área social, que tenha como objetivo tornar as oportunidades mais iguais para todos, independentemente das condições familiares.

Na elaboração do seu planejamento de vida é preciso fazer uma lista com os assuntos que são prioridades, sejam relacionadas ao trabalho e ou a questões pessoais. Na vida profissional, o objetivo primeiro é a ascensão profissional, buscando a realização financeira, porém, fazendo o que se gosta de fazer, sem muito estresse. A saúde e as finanças são sempre preferências na vida pessoal, além dos estudos e do amor.

No que se refere à saúde, é preciso ter cuidado com o exagero nas confraternizações e nas festas de fim de ano. Faça, pelo menos, uma vez por ano, os exames médicos básicos de rotina, de forma a proporcionar mais tranquilidade e bem-estar. Não esquecendo do exercício físico.

Quanto às finanças é importante desenvolver o hábito de poupar dinheiro, a fim de transformar seus sonhos em objetivos e programar o seu futuro com mais tranquilidade. Fazer um planejamento financeiro, faz parte dos objetivos de vida, reservando uma parte da renda para investimentos, de curto prazo (caderneta de poupança, fundos de investimentos DI, com prazo de resgaste diário, ou até mesmo com títulos do tesouro indexados à taxa Selic) e de longo prazo (letras de crédito-LCI e LCA, fundos multimercados, e de ações, que possuem um grau mais elevado de volatilidade e de risco. Porém, nessas opções é importante que se faça uma análise, quanto à sua capacidade de correr riscos e tolerância a perdas). Isso tudo é para se precaver de casos inesperados e de imprevistos que possam surgir, em que a necessidade de ter disponibilidade bancária é quase que imediata.

Ficar atento a tudo, fazendo sempre as coisas bem feitas, e adquirir o hábito de cumprir as suas metas, que serão estabelecidas para o ano de 2018, é de vital importância, lembrando-se que, apesar de ser fim de ano, Papai Noel não faz milagre.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.