A profissionalização da gestão pública em Pernambuco

Luiz Ernesto Mellet
Gestor governamental da Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco

Publicação: 01/12/2017 03:00

Gerenciar a máquina pública é uma atividade extremamente complexa. Contempla planos, metas, programas e projetos que almejam atender as demandas sociais e oferecer bem-estar ao cidadão. Para isso é preciso de mão de obra qualificada. Um corpo técnico capaz de superar os enormes desafios inerentes ao exercício da função pública. Esse capital humano é hoje parte integrante no quadro de servidores do estado de Pernambuco: são os gestores governamentais.

A categoria foi criada em 2008 através de leis complementares por uma iniciativa do governador Eduardo Campos. O intuito era injetar sangue novo no funcionalismo e promover a profissionalização da gestão pública no estado. Cerca de 600 gestores cumprem hoje expediente de oito horas nas secretarias de Planejamento e Gestão, Administração e Controladoria Geral. Encontram-se também trabalhando nos núcleos setoriais de outras pastas chaves como Saúde, Educação e Defesa Social.

Mas o que fazem os gestores governamentais? São eles quem no Poder Executivo planejam as políticas públicas e elaboram o orçamento; projetam estudos e cenários; monitoram e avaliam as ações de governo; desenvolvem programas que implicam níveis elevados de dificuldade; prestam apoio técnico na elaboração dos Planos Plurianuais e Anuais; fiscalizam pessoas físicas e jurídicas, de direito público e privado, que recebam, mantenham ou façam uso de valores e de bens do Estado; verificam o cumprimento dos contratos, convênios e acordos em conformidade com as normas e princípios administrativos, entre outras muitas atividades.

Eles estão presentes ainda em vários órgãos públicos espalhados por todo o estado, formulando estratégias, administrando problemas e apontando soluções em setores nevrálgicos do governo. Circulam pelos corredores dos hospitais, cadeias e escolas. Se Pernambuco tem a melhor educação pública do país, deve parte desse resultado ao trabalho dos gestores governamentais.  Enfim, esses profissionais funcionam como hemácias oxigenando todo o organismo estatal, sempre procurando servir da melhor maneira possível à sociedade pernambucana.

Maiores seriam os problemas na administração pública não fossem a dedicação integral dessa jovem categoria de servidores que vêm prestando um importante serviço à profissionalização da gestão pública no estado. Prova disso é que nove dos dez trabalhos daqui selecionados este ano pelo X Congresso do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração, Consad – o maior evento de gestão pública do país – têm a assinatura dos gestores governamentais de Pernambuco.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.