Agora é a vez do Novembro Azul

Giovanni Mastroianni
Advogado, administrador e jornalista

Publicação: 11/11/2017 03:00

Concluído com relativo sucesso o Outubro Rosa, campanha dirigida prioritariamente para as mulheres, inicia-se o Novembro Azul, no mês em que os órgãos de saúde pública de todo o mundo soerguem uma bandeira em favor da luta contra o câncer de próstata, comprovadamente o segundo carcinoma mais comum entre os homens. A próstata, como se sabe, é uma glândula sexual masculina localizada em torno da porção inicial da uretra masculina. Seu volume é de cerca de 15 a 20 centímetros cúbicos, pesando, aproximadamente, os mesmos números em gramas.
Uma dúvida, entretanto, sempre paira no ar: e para que serve a próstata? Presente, apenas, no sexo masculino e situada no trato geniturinário,  próxima à bexiga, uretra e vesícula seminal, juntamente com essa última, produz o líquido espermático. Todavia, não é ela indispensável para a vida, tanto assim que os portadores de câncer da próstata podem até retirar essa glândula, através de cirurgia, não ensejando grandes prejuízos.
Como já exposto, estatisticamente, é o segundo tipo de câncer mais conhecido entre os homens, registrando-se mais de 13 mil mortes, anualmente, chegando a atingir um óbito a cada 40 minutos, segundo o Instituto Nacional do Câncer - INCA -, que admite um aumento sempre crescente de novos casos, a cada ano. As estatísticas também indicam sua ocorrência em homens idosos, após os 65 anos e, raramente, antes dos 40 anos.
Quando há casos de câncer de próstata na família, a título, apenas, de proteção desse mal, os especialistas propõem que, a partir dos 45 anos, os homens façam seus primeiros exames, a fim de que se possa diagnosticar a prévia existência de risco de seu surgimento. É recomendada a visita anual ao urologista, a partir dos 50 anos. Entre os recursos diagnósticos, estão a dosagem em sangue do antígeno prostático específico, ou PSA, a realização da ultrassonografia da próstata e de toque retal para examiná-la diretamente. Esses são os meios mais indicados para se detectar precocemente a doença, aumentando as probabilidades de cura.
Embora a saúde deva ser colocada em primeiro lugar, o preconceito, geralmente, fala mais alto e a abordagem clínica conhecida como “toque retal”  é evitada, apesar de se saber que a detecção precoce do mal objetiva manter a saúde do homem. Campanhas públicas, como o Novembro Azul, visam, sobretudo, a salvar vidas.
Dia 17 de novembro é o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata e o “azul” representa a cor oficial escolhida pelos governantes para simbolizar e conscientizar o combate à neoplasia.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.