Mercados públicos, muito além do comércio

Berenice Andrade Lima
Presidente da CSURB

Publicação: 10/11/2017 03:00

Madalena, Encruzilhada, Casa Amarela, Cordeiro. São José, Boa Vista, Santo Amaro e Água Fria. O que há em comum entre esses bairros? O recifense nem pensa duas vezes. Tem a resposta rápida e precisa: o traço comum são os  mercados públicos.
Uns são mais imponentes. Outros, mais antigos. Cada qual com a sua característica, seu estilo, seus frequentadores, seus detalhes e sua história. Os mercados são extraordinários redutos da cidade. Mas, sabemos, o potencial desses equipamentos vai muito além da prestação de serviço para a comunidade.
Recife tem todas as condições de ampliar o universo dos mercados públicos. O comércio, com a sua latente atividade econômica,  pode, sim, agregar um outro elemento – o turismo.  Já é assim em Florianópolis, São Paulo, Salvador e em outras tantas capitais do país.
O dever de casa para chegar lá, entendemos, é básico. Se o mercado é bom para o morador da cidade, não tem risco de não agradar o visitante. O recifense já gosta muito de ir aos mercados, mas pode passar a gostar muito mais.
Os desafios são muitos, e decidimos encará-los. Sabemos que não é uma tarefa fácil sanar problemas estruturais, muitos até já bem antigos e persistentes. A crise econômica e as dificuldades de realização de investimentos por parte do poder público têm sido, de fato, um entrave. A parceria público-privada, entretanto, surge como aliada.
 O Mercado da Boa Vista já conquistou um investidor. A empresa Soll, Serviços e Locações assinou termo de cooperação técnica com a Autarquia de Serviços Urbanos do Recife (CSURB) e será a responsável pela reforma dos banheiros. Seguimos em busca de novos investidores para viabilizar a reestruturação mais ampla.
O Mercado da Encruzilhada é outro bom exemplo. Ganhou novos tons e cores através da parceria fechada com a empresa Tintas Iquine. Os banheiros externos foram reformados e os internos, alvo de muitas e justas reclamações, também serão refirmados em novo padrão.
É lá, também que, em uma ação conjunta entre a Prefeitura da Recife, CSURB, Secretaria estadual de Turismo e SEBRAE, nasceu o Viva o Mercado, projeto que promove, todos os sábados, shows e atividades culturais. A cada 15 dias, tem a Feirinha do Poço, que ocorria em Casa Forte e agora é mais uma atração do lugar.
Até o final de novembro, o Mercado da Encruzilhada ganha um charmoso espaço gourmet. O Viva o Mercado também será implantado, nesta fase inicial, nos Mercados da Boa Vista e da Madalena. Mas podemos mais. A parceria com o SEBRAE vai nos garantir atingir outro objetivo: implantar, até o final do ano, o cardápio em braile em todos os mercados do Recife.
É só assim, trocando ideias, unindo esforços, fechando parcerias, discutindo os problemas, enfrentando os desafios e apontando soluções  que poderemos viver melhor a rotina dos nossos mercados. Quem ainda não entrou nessa boa onda, é nosso convidado neste debate.  Sua participação pode fazer toda a diferença. 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.